Brasília, 12 de dezembro de 2018 - 15h57

Diplomacia

02 de junho de 2016
por: InfoRel
Compartilhar notícia:

Marcelo Rech



Com a posse do senador José Serra (PSDB-SP) no cargo de ministro de Relações Exteriores, o PSDB passa a controlar toda a Política Externa Brasileira. O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) já preside desde o início de 2015, a Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional do Senado, e em maio, o partido indicou o deputado Pedro Vilela (PSDB-AL), para a Comissão homóloga na Câmara dos Deputados.



É a primeira vez desde a redemocratização que um único partido controla toda a Política Exterior do país. E isso se dá porque o presidente Michel Temer decidiu romper com uma tradição que vinha sendo fortemente defendida, a de indicar para o Itamaraty, membros da carreira diplomática. O último chanceler não diplomata a ocupar o cargo de Serra foi o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.



Resta saber agora o que o PSDB fará como partido que contribuiu para o afastamento da presidente Dilma Rousseff, aceitou cargos no governo de transição e tomou as rédeas de uma área que há anos está abandonada e cuja imagem é degradante. Ninguém dúvida da capacidade do senador, mas seu estilo professoral não condiz com a postura diplomática que a liturgia do cargo impõe.



Se quiser, Serra poderá implementar uma Política Externa em coordenação com a Câmara e o Senado, por onde obrigatoriamente passam os acordos e tratados firmados na esfera do Executivo. Uma das queixas antigas diz respeito ao tempo de tramitação desses acordos. Com maioria parlamentar nas duas Casas e controle das respectivas comissões, o governo poderá acelerar a ratificação de acordos, sobretudo daqueles que lhe são prioritários.



Além disso, o tripé Serra – Aloysio – Vilela, poderá permitir que o governo atual desconstrua no âmbito externo a imagem do Brasil dos golpistas que o grupo ainda vinculado à gestão anterior, tem conseguido “vender” lá fora. Um exemplo claro disso foi a viagem do ex-assessor internacional da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, a Buenos Aires na semana em que o chanceler tucano inaugurava sua agenda externa.



José Serra foi hostilizado na capital argentina e não importa se por 40 ou 400, pois o que os jornais deram foi o fato em si. Outros protestos contra ele estão sendo arquitetados de acordo com as viagens que realizará. Os mais próximos do Corpo Diplomático são justamente o deputado e o senador e eles poderão contribuir neste processo.



Para que o tripé funcione a contento, será preciso mais que boa vontade. Os presidentes das comissões de Relações Exteriores e de Defesa Nacional das duas Casas do Legislativo também precisam saber das prioridades e do planejamento de Serra à frente do Itamaraty. E com relativa antecipação.



Essa trinca dura apenas até fevereiro do próximo ano. Depois, sabe-se lá quem serão os próximos a comandar no Congresso, os temas internacionais.



Marcelo Rech é jornalista e analista no Instituto InfoRel de Relações Internacionais e Defesa. E-mail: inforel@inforel.org.


Assuntos estratégicos

Senado paraguaio posterga para 2019 análise de leis contra o crime organizado

Senado paraguaio posterga para 2019 análise de leis contra o crime organizado

O Senado do Paraguai postergou para março de 2019 a análise de três projetos de...
Paraná inaugura Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública

Paraná inaugura Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública

Na última terça-feira, 4, a governadora do Paraná, Cida Borghetti, e o ministro...
Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasília – O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, defendeu nesta...
Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Brasília - O governo do Paraguai intensificou o combate das ramificações das...
Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Brasília - O Brasil vai instalar três radares aéreos para o controle de voos de...
Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Brasília - O governo brasileiro encaminhou ao Congresso Nacional a Medida Provisória...
ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

Brasília – O Diretor-Geral da Agência Brasileira de Inteligência,...
Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...