Os verdes lançam uma luz na política
19/08/2009
Comunicado Conjunto Brasil – Serra Leoa
19/08/2009

Acordo militar Colômbia – EUA é confirmado

Acordo militar Colômbia – EUA é confirmado

Apesar da resistência da maioria dos países sul-americanos, os governos dos Estados Unidos e da Colômbia, confirmaram nesta terça-feira que o acordo militar que permitirá aos norte-americanos o uso de sete bases colombianas, está fechado.

As negociações, segundo o ministério de Relações Exteriores da Colômbia, foram concluídas na sexta-feira. Em algumas semanas, o texto será assinado pelos dois governos.

Nesta terça-feira, em Washington, a Secretária de Estado, Hilary Clinton, se reuniu com o chanceler colombiano Jaime Bermúdez. Segundo ela, as bases não serão controladas pelos Estados Unidos.

Clinton também afirmou que os Estados Unidos não devem explicações aos vizinhos da Colômbia uma vez que o acordo é bilateral.

Ela cobrou uma maior participação dos países da região no combate ao narcotráfico. Na sua avaliação, os países que se opõem ao acordo devem parar de reclamar e agir para proteger a América do Sul dos narcotraficantes.

Já o ministro de Relações Exteriores, Jaime Bermudez, preferiu enfatizar que o acordo não colocará a integridade territorial dos vizinhos da Colômbia em risco.

Desde que o governo Uribe decidiu atacar um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), em território equatoriano, no ano passado, sérias dúvidas têm sido levantadas sobre os reais interesses norte-americanos naquele país.

A Colômbia também acusa os presidentes Hugo Chávez, da Venezuela, e Rafael Correa, do Equador, de apoiarem a guerrilha. Esse argumento contribui para a defesa do acordo com os Estados Unidos.

Em documento distribuído à imprensa, a Casa Branca ressalta que o acordo pretende harmonizar e aprofundar a cooperação em defesa que os dois países iniciaram em 1952.

Além disso, esclarece que todas as atividades realizadas pelos 800 militares e 600 civis norte-americanos na Colômbia, terão autorização prévia do governo colombiano.

Este acordo terá vigência de 10 anos e não explícita que operações poderão ser realizadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *