Defesa

Polêmica
12/07/2010
Unasul: chanceler equatoriano vem à Brasília
12/07/2010

Acordos de Defesa: Bolívia, El Salvador e Honduras

Acordos de Defesa: Bolívia, El Salvador e Honduras

O Senado aprovou os acordos de cooperação em Defesa firmados pelo Brasil com Bolívia, El Salvador e Honduras, em 2007.

Como o Brasil congelou suas relações diplomáticas com Honduras, o acordo com eles não vigora.

O acordo com a Bolívia dá ênfase às áreas de pesquisa e desenvolvimento, apoio logístico e aquisição de produtos e serviços de Defesa.

Além disso, intensifica o intercâmbio de experiências em operações de manutenção da paz. A Bolívia mantém um efetivo no Haiti sob comando brasileiro.

De acordo com o ministério das Relações Exteriores, o acordo se insere na prioridade brasileira à integração da América do Sul, contribuindo para o desenvolvimento e segurança regionais.

Em La Paz, o ministro da Defesa boliviano, Rúben Saavedra, confirmou que o país realizará esforços para modernizar e equipar as Forças Armadas que utilizam equipamentos com mais de 50 anos.

Saavedra explicou que a Bolívia não tem condições de adquirir equipamentos novos, de última geração, mas que o país já iniciou entendimentos com Rússia e China e que deverá fechar contratos também com vizinhos sul-americanos.

El Salvador

O acordo em Defesa com El Salvador prevê o intercâmbio de conhecimentos nas áreas de Ciência e Tecnologia e a promoção de ações conjuntas de treinamento e instrução militar.

El Salvador também pretende ampliar sua participação em missões de manutenção da paz sob mandato das Nações Unidas e conta com o Brasil para aprimorar sua expertise.

Na avaliação do ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, o acordo diz respeito, também, aos compromissos de fortalecimento da confiança e transparência mútuas assumidos no âmbito das Américas.

Honduras

Com Honduras, a cooperação se desenvolverá por meio de visitas mútuas, reuniões entre instituições competentes, intercâmbio de funcionários, cursos, além da implementação e desenvolvimento de programas e projetos de aplicação de tecnologia de Defesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *