Diplomacia
09/06/2005
Forças Armadas
09/06/2005

Programa Espacial

Agência Espacial discute cooperação com França, Rússia e Ucrânia

O presidente da Agência Espacial Brasileira [AEB], Sérgio Gaudenzi, e o presidente do Centro Nacional de Estudos Espaciais da França [CNES], Yannick dEscatha, devem assinar na próxima semana, um acordo de cooperação sobre a participação brasileira na Missão Corot.

Segundo a AEB, o ingresso do Brasil no empreendimento beneficiará universidades e institutos de pesquisa do programa espacial, pois o país terá acesso aos dados obtidos pelo satélite da missão, voltada para a pesquisa de planetas fora do sistema solar e estudo da sismologia estelar.

A missão inclui a presença de cientistas brasileiros nas equipes de interpretação das informações. Para tanto, o Brasil deverá instalar uma antena de recepção na Base de Lançamentos de Alcântara [MA], para monitorar e rastrear o artefato espacial.

A assinatura do acordo será um dos compromissos do presidente da AEB, durante viagem internacional que, além da França, inclui a Rússia e o Cazaquistão. Sérgio Gaudenzi assistirá a um lançamento, promovido pela agência espacial russa [Roskosmos], da nave de carga Progress para a Estação Espacial Internacional [ISS], que é integrada por 16 países, entre eles, Rússia e Brasil.

Gaudenzi terá encontros com representantes da Agência Espacial Nacional da Ucrânia [NSAU], país com o qual o Brasil tem acordo de cooperação para a realização de lançamentos comerciais a partir de Alcântara. As reuniões deverão ocorrer durante a Paris Air Show, maior evento mundial dos setores aeronáutico e espacial, conhecida como Feira de Le Bourget, marcada para o período de 13 a 19 de junho.

Enquanto o Brasil responde por investimentos na infra-estrutura de solo para o lançamento do foguete ucraniano Cyclone-4, a Ucrânia desenvolve a quarta versão do lançador, sendo que uma empresa binacional em processo de criação administrará as atividades de lançamento. O projeto Cyclone-4 será exposto no stand da NSAU.

Enquanto isso, a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara decidiu realizar audiência pública sobre a situação do Centro de Lançamento de Alcântara, onde há dois anos o foguete brasileiro VLS-1 pegou fogo, matando 21 pessoas.

“Também pretendemos apurar que medidas sugeridas pela comissão que investigou o acidente foram implementadas e se os compromissos assumidos com a comunidade local foram cumpridos”, afirmou a deputada Terezinha Fernandes [PT-MA].

Deverão participar da audiência pública, o diretor do Centro de Lançamento, Francimar Nogueira Ventura; o presidente da Agência Espacial Brasileira, Sérgio Gaudenzi; o coordenador do Grupo Executivo Interministerial sobre Alcântara, Adelmar de Miranda Torres; e o representante do Movimento dos Atingidos pela Base Espacial, Sérvulo de Jesus Moraes Borges. A data da audiência ainda não foi definida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *