Brasília, 29 de setembro de 2020 - 05h58
Agricultura aposta na Diplomacia do Agronegócio

Agricultura aposta na Diplomacia do Agronegócio

16 de setembro de 2020 - 14:06:24
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília – O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em conjunto com o Itamaraty e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), realizam até esta quinta-feira, 18, o 2º Encontro dos Adidos Agrícolas Brasileiros. A abertura do evento foi realizada na manhã de segunda-feira, 14, pelos ministros Tereza Cristina, Ernesto Araújo, o presidente da Apex-Brasil, Sergio Segovia, e o deputado federal Alceu Moreira, presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária.

De acordo com Tereza Cristina, “nossa missão compartilhada é tratar a agropecuária brasileira de forma integral. Juntos poderemos implementar, efetivamente, a diplomacia do agronegócio nacional. Temos ajudado a sustentar a economia nacional. Somos o único PIB setorial que cresceu, o único segmento que ampliou exportações. Metade da pauta exportadora do país vem do agro e fizemos isso sem descuidar do abastecimento interno. Juntos continuaremos a construir uma agropecuária que trará prosperidade a toda a sociedade brasileira e a nossos parceiros ao redor do mundo”, afirmou.

Com o objetivo de fortalecer o conceito de diplomacia do agronegócio, Tereza Cristina anunciou três novos adidos agrícolas a partir deste ano, que ficarão estabelecidos na França (Paris), na Alemanha (Berlim) e na Austrália (Camberra). Os países foram escolhidos por sediarem a Organização Mundial da Saúde Animal e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, para ampliar a comunicação do agro brasileiro na Europa e por serem importantes players no mercado agrícola mundial.

Por sua vez, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, lembrou que o agronegócio brasileiro manteve a trajetória de crescimento, a despeito da recessão que atinge muitos países e da pandemia, inclusive com a abertura de novos mercados para dezenas de produtos.

“Um dos fatores importantes para esse sucesso é o alto grau de integração do trabalho do Itamaraty, Apex-Brasil e Mapa, sempre em diálogo franco, aberto e produtivo com o setor privado e com o Parlamento. Tanto no Brasil quanto no exterior a colaboração se expandiu ainda mais com a ampliação da rede de adidos agrícolas e com as ações da Apex-Brasil, que tem atuado com competência e agilidade na organização e promoção de feiras, rodadas de negócios, projetos compradores e eventos diversos em intensa atuação com as embaixadas brasileiras”, explicou.

Cooperação

A abertura do evento também foi marcada pela assinatura de dois acordos de cooperação entre o Ministério da Agricultura e a Apex-Brasil, estabelecendo parceria para ações de promoção comercial, atração de investimentos e de integridade.  Os objetivos dos acordos incluem o fortalecimento e a uniformização da agenda de promoção internacional da cadeia do agronegócio; a inserção de novas empresas no comércio internacional, bem como ampliação da presença daquelas que já exportam; a atração de investimentos estrangeiros para o setor; a internacionalização de empresas e o estímulo ao empreendedorismo e à inovação no setor.

Tereza Cristina destacou que uma das metas dos acordos é a realização de, pelo menos, 15 feiras internacionais até o final de 2021. Segundo ela, os acordos vão unificar a estratégia de atuação, permitindo ganhos de escala e otimização de recursos, além de alavancar a divulgação do trabalho inovador e sustentável da agropecuária.

“Cada grão de soja, de milho, cada fibra de algodão ou litro de biocombustível, cada pedaço da produção nacional traz tecnologia de ponta, cinco décadas de investimento público, traz as rígidas exigências de nosso Código Florestal. Não exportamos simplesmente bens primários: exportamos, sobretudo, inovação e preservação ambiental, em cada um de nossos produtos”, defendeu.

O governo informou que, no âmbito da integridade, os compromissos incluem a produção de estudos sobre o tema; a criação de grupos de trabalho para discussão técnica sobre integridade; a preparação de material técnico; organização de seminários, congressos e workshops voltados para empresas privadas e cooperativas.

O presidente da Apex-Brasil, Sergio Segovia, explicou que “em muitas das nossas iniciativas, já contamos com a parceria assídua do MRE e do Mapa. Essa sinergia é crescente e será ampliada por meio dos acordos de cooperação hoje assinados. Juntos, vamos trabalhar para que o Brasil se destaque cada vez mais pela sua confiabilidade e pelo estrito cumprimento dos compromissos assumidos junto aos seus clientes internacionais, mesmo na situação excepcional que vivenciamos. Isso claramente reforça a situação do país como protagonista no atendimento da segurança alimentar global, sempre de modo sustentável”, afirmou.

Agenda

O evento que reúne adidos agrícolas de 22 países, representantes dos departamentos de agricultura de embaixadas brasileiras e dos escritórios internacionais da Apex-Brasil, tem discutido com representantes do Governo Federal e do setor privado, temas sanitários e fitossanitários, negociação e promoção comercial, cooperação, investimentos, biodiversidade, entre outros.

A Apex-Brasil também apresentará a sua estratégia para o Agronegócio, incluindo ações de promoção de exportações, inteligência de mercado e atração de investimentos, com foco na agregação de valor à pauta de exportação e na diversificação de mercados.