Agronegócio considera estratégicas as linhas marítimas Brasil – Países Árabes

A Câmara de Comércio Árabe Brasileira considera estratégicas as linhas marítimas que aproximam o Brasil dos países árabes e defende a intensificação desses canais também com países árabes do continente africano. No dia 25 de maio, Dia da África, o Secretário-Geral da entidade, Tamer Mansour, afirmou que entre as oportunidades de explorar mais essas linhas está o fortalecimento da parceria com o Marrocos.

“Entendemos a importância de implantar cada dia mais planejamento estratégico. Isso leva a dois projetos que envolvem a África. O primeiro é de linhas marítimas Brasil – países árabes. Hoje, o Marrocos é o maior exportador de fosfato para o mundo e para o Brasil, que é a base de fertilizantes. E os fertilizantes são a base dos produtos agrícolas que fazem os países árabes serem o segundo maior parceiro de agronegócio do Brasil, atrás apenas da China”, explicou.

Outro importante polo na África é o Egito, único país árabe com acordo de livre-comércio com o MERCOSUL. “Consideramos alguns países árabes como hub para reexportar produtos brasileiros para o mundo. Um deles é o Egito, que com acordo com o MERCOSUL, tem oportunidades para negócios de comércio, para desfrutar de zonas francas como a do Canal de Suez e de Alexandria”, destacou, acrescentando também Marrocos, Tunísia e Argélia, como importantes hubs no continente.

Marcelo Rech – 11/06/2020

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *