Relações Exteriores

Diplomacia
25/05/2005
Relações Exteriores
25/05/2005

ACNUR

Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados é anunciado em Nova Iorque

O Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas [ONU], Kofi Annan, anunciou a escolha do ex-primeiro-ministro de Portugal, Antonio Guterres, para chefiar o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados [ACNUR]. O organismo é responsável pela proteção e assistência de mais de 17 milhões de pessoas deslocadas de seus países em todo o mundo. Guterres vai substituir o holandês Ruud Lubbers, que renunciou ao cargo em fevereiro.

A indicação de Guterres ainda depende de aprovação pelos 191 países membros da Assembléia Geral da ONU. Ainda não há uma data para que a escolha seja ratificada pela Assembléia.

Guterres foi um dos oito entrevistados por oficiais das Nações Unidas e especialistas. A decisão final foi tomada por Kofi Annan.

Antonio Guterres tem 56 anos, foi eleito para o Parlamento português em 1976, e ocupou o cargo de primeiro-ministro de 1996 a 2002, pelo Partido Socialista. Foi membro fundador do Conselho Português para Refugiados, em 1991 e participou ativamente das negociações que levaram à independência do Timor Leste, ex-colônia portuguesa.

O ACNUR, que já ganhou o prêmio Nobel da Paz duas vezes, foi estabelecido pela Assembléia Geral em 1950, e já ajudou mais de 50 milhões de pessoas nas últimas cinco décadas.

O organismo tem um orçamento anual de cerca de US$ 1 bilhão e mais de seis mil funcionários, a maioria trabalhando nas áreas mais remotas e perigosas do mundo. A agência está representada em 115 países.

No Brasil, o escritório do ACNUR foi reaberto em 2004 em Brasília, mantendo em parceria com o Governo e a sociedade civil, vários programas de proteção, integração e reassentamento de refugiados.

O Brasil abriga atualmente cerca de 3.500 refugiados de mais de 50 nacionalidades, obrigados a deixar seus países devido a perseguições étnicas, políticas e religiosas, ou devido à violência generalizada produto dos conflitos armados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *