Especial – Haiti
19/06/2005
Forças Armadas
19/06/2005

Soberania

Amazônia é prioridade para a Força Aérea Brasileira

A Força Aérea Brasileira [FAB] aumenta cada vez mais sua atuação no interior da Amazônia. Para atender à necessidade de policiamento do espaço aéreo no Arco Oeste da fronteira, foram criados Destacamentos da Aeronáutica nas localidades de São Gabriel da Cachoeira, Eirunepé e Vilhena, que vão operar como futuras bases aéreas da FAB.

O Destacamento de São Gabriel da Cachoeira [DASG] foi inaugurado em maio e já opera como ponto de apoio aos esquadrões deslocados para missões na fronteira norte do País. As outras unidades da FAB serão inauguradas em breve.

Segundo o Centro de Comunicação da Aeronáutica [CECOMSAER], o DASG recebeu no último mês o grupamento com 105 militares brasileiros envolvidos na Operação COLBRA I, exercício combinado de defesa aérea entre o Brasil e a Colômbia, realizado em São Gabriel da Cachoeira.

A nova unidade militar da FAB, localizada na região conhecida como Cabeça de Cachorro – por causa do desenho formado pela linha de fronteira com a Colômbia e a Venezuela, também será uma base aérea operacional e de desdobramento na região que terá aeronaves de caça A-29 e AT-26, usadas como vetor aéreo de interceptação.

De acordo com o VII Comando Aéreo Regional [COMAR VII], sediado em Manaus [AM], o DASG comporta pista de táxi, pátio operacional, oito hangares, que servem de abrigo para aeronaves, vias de acesso, casa de força, castelo de água e o hangar principal com dois prédios anexos.

O COMAR VII abrange os Estados do Amazonas, Rondônia, Acre e Roraima, representando cerca de 25% do Território Nacional. A área sobre sua jurisdição abrange cerca 2.200.000 quilômetros quadrados, equivalentes a nove países da Europa juntos: Holanda, Bélgica, Portugal, Espanha, França, Itália, Suíça, Alemanha e Reino Unido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *