Defesa

Fórum de Empresários Argentina-Brasil
02/02/2011
Secretário do Tesouro dos EUA vem ao Brasil para t
02/02/2011

Defesa

Argentina impõe condições para adquirir KC-390

Na última segunda-feira, 31, as presidentes Dilma Rousseff e Cristina Fernández de Kirchner, assinaram uma série de atos em Buenos Aires no primeiro compromisso internacional da Chefe de Estado brasileira.

 

Além da ênfase às questões sociais e de integração física, Brasil e Argentina ampliaram os entendimentos na área de Defesa.

 

Dilma Rousseff e Cristina Fernández também destacaram a importância do Mercosul para a promoção comercial e a UNASUL como principal mecanismo de unidade e cooperação na América do Sul.

 

Na oportunidade, as presidentes firmaram o Acordo de Cooperação entre a CNEN e a CNEA para o Projeto de Novo Reator de Pesquisa Multipropósito, passo considerado fundamental para o desenvolvimento de seus respectivos setores nucleares.

 

Com base na Declaração Conjunta sobre Política Nuclear, firmada em San Juan, em 3 de agosto de 2010, as presidentes encorajaram o diálogo político instaurado no Comitê Permanente de Política Nuclear (CPPN), com o objetivo de continuar o intercâmbio de informação sobre o estado dos programas nucleares de ambos os países, a coordenação de posições em foros internacionais, como o Grupo de Fornecedores Nucleares, entre outros, e a avaliação política da cooperação nuclear bilateral e do funcionamento da Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares (ABACC), com vistas a potencializar seu papel.

 

Defesa

 

Dilma e Cristina manifestaram apoio à iniciativa dos respectivos ministros da Defesa que em novembro de 2010 instituíram o Grupo de Trabalho Bilateral de Defesa Argentino-Brasileiro, e reafirmaram a decisão de elevar o nível e aprofundar o diálogo político – estratégico e de cooperação em áreas de políticas de defesa.

 

Pesaram os excelentes vínculos existentes entre as Forças Armadas de Brasil e Argentina, que mantêm um intenso programa anual de intercâmbio, cursos, estágios e visitas com o envio e a recepção de militares das forças de ambos os países, além das diversas operações realizadas em conjunto.

 

Este relacionamento tem sido incrementado ano após ano, sendo que em 2010 estão previstos 74 eventos na Argentina e 59 eventos no Brasil.

 

Na última Declaração dos Presidentes as quatro Subcomissões (Naval, Terrestre, Aeronáutica e Conjunta de Defesa) interagiram com as suas contrapartes, analisando as propostas, especificando os projetos e avaliando os respectivos interesses em cada assunto.

 

Desde então, avançou-se nas seguintes ações:

 

a) Projeto Veículo Gaúcho

 

Estima-se que em breve se tenha uma versão final do projeto. A parte argentina manifestou a intenção de iniciar os estudos para a produção de uma pré-série de veículos VLEGA GAÚCHO, a partir da versão final do projeto.

 

Para tal, a Argentina expressou o desejo de efetuar contato com empresas privadas de capital argentino com o propósito de levar adiante este objetivo. A parte brasileira está de acordo com a intenção da parte argentina, mas entende que é fundamental que o veículo seja avaliado antes de iniciar o processo de produção de uma pré-série argentina.

 

b)  Projeto “Pool” Logístico para Aquisição de Sobressalentes (F-103 Mirage brasileiro por Boeing 707 argentino)

 

O projeto foi concluído, em função de ter atingido o seu objeto principal, não sendo mais necessário a discussão no âmbito do grupo.

 

c)  Projeto de Manutenção de Turbinas Navais a ser executada pelo Arsenal Comandante Espora

 

Os detalhes finais necessários para assinatura do Termo de Compromisso, entre as respectivas marinhas, serão acertados por intermédio dos pontos de contato das Subcomissões Navais.

 

d) Ficha de Projeto Complementaridade na utilização de simuladores de vôo e manutenção de aeronaves de combate A-4.

 

O Ministério da Defesa Argentino apresentou este novo tema, que vem sendo tratado pelas Subcomissões Navais.

 

e) Projeto 002SCD09 – Sistema de Certificação/Homologação de Produtos de Defesa

 

A Subcomissão Conjunta de Defesa (SCD) argentina informará as necessidades para o SCD brasileira.

 

f) Ficha de Proposta de Projeto “Simulador de Tiro do Tipo Lounge”

 

A SCD brasileira efetuará um estudo do produto argentino e a possibilidade de implementação em âmbito militar brasileiro.

 

g) Projeto 002SCN08 (ARG) – Recuperação de Motores de Mísseis (MAGIC, ASPIDE, EXOCET, entre outros) – desenvolvimento conjunto CITEDEF/ARA

 

As Subcomissões Navais deverão deliberar sobre aspectos mais amplos relacionados aos sistemas que compõem os mísseis como um todo, tais como: sistema de direção de tiro, controle guiado, propulsão e explosivos.

 

h) Projeto 004SCN08 (ARG) – Cooperação e Intercâmbio de Informações sobre Reparo e Recuperação de “Staves”  (transdutores) Sonar

 

As Subcomissões Navais estão analisando a possibilidade de cooperação nos aspectos relacionados aos cilindros cerâmicos para os hidrofones dos submarinos.

 

i) Projeto 010SCN08 (BRA) – Pesquisa e Desenvolvimento Conjunto de Modelos Matemáticos de Propagação do Som em águas pouco profundas

 

As Subcomissões Navais tem avançado nos estudos dos modelos matemáticos.

 

Cooperação Industrial Aeronáutica

 

a)  Cooperação Aeronáutica com a FAdeA

 

A Embraer emitiu no início do segundo semestre de 2010, pela segunda vez, um “Request for Proposal” – RFP (etapa de processo de escolha de fornecedor e aquisição), no qual estão contempladas peças de estamparia para os programas da família E-Jets, Legacy 450, Legacy 500 e KC-390.

 

Após o término do processo formal de escolha de fornecedor, espera-se consumar a cooperação industrial no fornecimento regular de peças aeronáuticas.

 

Autoridades governamentais também pretendem concluir as negociações em torno do Regime Comum de Importação de Bens Destinados a Indústria Aeronáutica, no âmbito do Mercosul para proporcionar a competitividade necessária à relação industrial entre FAdeA e Embraer.

 

b) Programa Embraer KC–390

 

Em 28 de outubro de 2010, foi assinada a “Declaração de Intenções entre os Ministérios da Defesa da Argentina e do Brasil relativa à participação no programa KC-390”, na qual se destaca:

 

– a definição dos termos e condições da participação da Argentina no Programa KC-390, no que se refere à produção na Argentina de peças; e

 

– as futuras aquisições pelo Governo Argentino de seis (6) aviões KC-390, sujeitas à efetiva participação da Argentina no programa da aeronave.

 

A Embraer e a FAdeA iniciaram os processos de negociações para participação argentina no projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *