Brasília, 22 de agosto de 2019 - 16h38
BID recomenda aproximação entre América Latina e Países do Golfo

BID recomenda aproximação entre América Latina e Países do Golfo

11 de abril de 2019 - 17:43:53
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília – O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) considera modesta a relação comercial entre a América Latina e os países do Golfo, realidade que poderia ser completamente transformada com alguns acordos internacionais e o aumento da presença diplomática.

De acordo com o BID, o potencial de comércio entre a América Latina e os países do Golfo é enorme. Em 2018, o comércio bilateral atingiu os US$ 16.3 bilhões e para o banco, esse volume pode ser aumentado em até US$ 13 bilhões anuais.

“Os países e empresas latino-americanas apresentam uma oferta exportável complementar a dos países do Golfo e aqueles que desejam abrir novos mercados deveriam estreitar os seus vínculos e contatos com esta região estratégica”, afirmou Fabrizio Opertti, gerente do Setor de Integração e Comércio do BID.

Na Cidade do Panamá onde se realiza um foro de negócios que busca aproximar as duas regiões, Opertti destacou as oportunidades no Barein, Iraque, Kuwait, Omã, Qatar, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos.

Com os acordos de comercio, o BID calcula que o intercâmbio aportaria US$ 9.8 bilhões anuais. Outros US$ 3.3 bilhões, seriam obtidos com a abertura de representações diplomáticas.

O BID recomenda ainda “a assinatura de acordos comerciais, de investimento e de dupla tributação; incrementar o número de representações diplomáticas, consulares e comerciais; aumentar as rotas aéreas diretas; fortalecer as comunicações e enlaces entre as empresas para estreitar os vínculos comerciais”.

O BID insiste em que o Golfo é uma região atrativa para a América Latina, principalmente porque alguns dos produtos mais procurados pelos árabes – alimentos, metais, pérolas, pedras semipreciosas, maquinário mecânico e elétrico, e automóveis, são produzidos pelos latino-americanos.

Segundo o BID, os países pequenos da América Latina serão os que poderão tirar mais proveitos desta relação. Até o momento, 76% do comércio bilateral se concentra na Argentina, Brasil e México.

O informe assinala os Emirados Árabes Unidos como o país que deveria receber mais atenção. “É o mercado mais importante e de maior crescimento na região, representando 27% das exportações dos países membros do Conselho de Cooperação do Golfo para a América Latina e 46% das importações desta região.