Comissão pode realizar Audiência Pública sobre o n
18/11/2006
Chanceleres da CASA se reúnem em Santiago
23/11/2006

Bolívia ameaça brasileiros de expulsão

Bolívia ameaça brasileiros de expulsão

Na última quarta-feira, a Câmara dos Deputados da Bolívia aprovou o projeto de lei do governo que prevê a recuperação das terras adquiridas por estrangeiros. Cerca de 40 fazendeiros brasileiros, segundo o governo da Bolívia, possuem terras ilegais no país.

O vice-ministro de Terras, Alejandro Almaraz, afirmou que esses brasileiros serão expulsos do país e que o governo vai reaver as terras. Os fazendeiros brasileiros se concentram nos departamentos de Pando e Santa Cruz, que estão na fronteira com o Brasil.

Segundo o governo da Bolívia, essas terras serão distribuídas aos pequenos produtores bolivianos. O presidente Evo Morales chegou a ameaçar o Senado se a decisão não for confirmada. Ele disse que a população se levantará, caso a oposição rejeite o projeto.

Evo Morales se referiu aos brasileiros como latifundiários e criticou a elite de Santa Cruz, Beni e Pando, que não aceitam a política agrária implementada pelo governo.

Ele também explicou que a Constituição boliviana não permite a posse de terras numa faixa de 50 quilômetros da fronteira por estrangeiros. O governo da Bolívia não descarta o uso da força para retirar os brasileiros da região, inclusive com o Exército.

Entretanto, os brasileiros que têm família na Bolívia, têm a promessa do governo de que serão amparados de acordo com a lei.

Passividade

Enquanto a crise energética não é solucionada definitivamente e o governo boliviano ameaça produtores rurais brasileiros com a expropriação de terras, a oposição critica a passividade do governo brasileiro.

No entendimento do líder do PFL no Senado, José Agripino Maia (RN), essa é mais uma prova da submissão brasileira quanto ao governo de Evo Morales. Ele considera a decisão ilegal e afirma que a identidade ideológica entre os dois governos é prejudicial ao Brasil.

O senador petista Tião Viana (AC), voltou a reconhecer o direito boliviano de definir sua política agrária, mas mostrou-se preocupado com a situação dos imigrantes ilegais bolivianos que vivem em São Paulo.

Viana afirmou que são cinco mil brasileiros que viveriam ilegais na Bolívia, enquanto que 70 mil bolivianos vivem na mesma situação apenas na capital paulista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *