Brasília, 26 de maio de 2020 - 15h05
Bolívia irá extraditar membros do PCC que estão nas prisões do país

Bolívia irá extraditar membros do PCC que estão nas prisões do país

13 de fevereiro de 2020 - 12:41:15
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília – O ministro de Governo, Arturo Murillo, anunciou que a Bolívia identificou e irá extraditar nove presos membros da organização criminosa brasileira Primeiro Comando da Capital (PCC). De acordo com Murillo, são criminosos de alta periculosidade que podem criar problemas para o sistema penitenciário boliviano.

“São nove brasileiros que temos nas prisões do país e aparentemente são membros do PCC, então, vamos iniciar os trâmites correspondentes para tirá-los do país”, afirmou. Murillo também revelou que está em contato permanente com a chancelaria brasileira para que este processo seja agilizado.  

“A vida dos presos bolivianos e dos agentes de segurança estão em risco tendo a perigosos réus capturados na Bolívia e que formam parte da maior organização criminosa do Brasil, com 20 mil integrantes, dos quais seis mil estão presos”, afirmou Murillo.  

Até que o processo de extradição esteja pronto, os membros do PCC serão isolados dos demais presos de Mocoví, em Trindade. “Entre os presos brasileiros, estão alguns líderes importantes do PCC que já buscam mostrar autoridade junto aos agentes de segurança bolivianos”, revelou.

O ministro de Governo também anunciou que a Bolívia irá reforçar o controle migratório e o intercâmbio de inteligência em coordenação com o Brasil “na declarada guerra contra o narcotráfico, o crime organizado e a corrupção”. Ele reconheceu, por exemplo, que Guayaramerín, no lado boliviano e Guajará-Mirim, no Brasil, é uma zona fronteiriça muito perigosa, por onde os delinquentes ingressam na Bolívia, “pensando que podem fazer o que quiserem no país”, concluiu Murillo.