Argentina vai comprar o KC-390 da EMBRAER
07/10/2010
Farc anuncia que não renunciará à luta armada
11/10/2010

Território Estratégico

Bolívia reforça presença nas fronteiras com 32 mil militares

Até 2015, as Forças Armadas da Bolívia pretendem empregar 80% dos seus militares nas áreas consideradas de valor estratégico.

A informação é do diretor da Agência para o Desenvolvimento das Micro-Regiões e Zonas Fronteiriças, Juan Ramón Quintana.

De acordo com ele, atualmente, as Forças Armadas controlam 40% do território de valor estratégico.

Quintana revelou que a iniciativa é parte do projeto de reordenamento estratégico das Forças Armadas do país.

O governo boliviano informou que em julho, os militares intervieram e anularam atividades ilícitas de exploração de ouro nos rios Suchez, Madre de Dios, Orton e Madeira.

Na semana passada, uma operação em Chiquitania, resultou na apreensão de máquinas e na detenção de garimpeiros brasileiros que atuavam na região ilegalmente.

Para atuar no combate à exploração dos recursos naturais no país, a 5ª Divisão do Exército foi transformada em força especial, o que implica no emprego de mil soldados apenas no patrulhamento e controle do território estratégico.

As Forças Armadas atuam ainda no combate ao contrabando e na proteção das áreas ricas em cobre, zinco, lítio e ouro, na zona andina do país.

No Oriente boliviano, a prioridade é para as reservas de ferro, ouro, zinco, pedras semipreciosas e urânio.

Bolívia vai repatriar brasileiros ilegais

O ministério das Relações Exteriores do Brasil informou que 25 garimpeiros brasileiros que exploravam ouro ilegalmente na Bolívia, serão repatriados nos próximos dias.

Apenas dois deles terão de comparecer à Justiça daquele país para responder ao processo por exploração ilegal de recursos naturais e quatro continuarão residindo na Bolívia.

Na defesa dos recursos naturais, o governo boliviano militarizou 15 minas na região de Chiquitanía, em Santa Cruz de la Sierra, com o objetivo de frear a exploração ilegal e o contrabando de ouro.

Os brasileiros presos estão detidos em San Ignacio de Velasco, próximo à fronteira brasileira.

Em comunicado, o Itamaraty informa que todos estão sendo assistidos diretamente pelo cônsul geral adjunto do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *