Brasília, 26 de junho de 2019 - 18h25
Brasil, Chile, Argentina e Paraguai e o turismo no Corredor Bioceânico

Brasil, Chile, Argentina e Paraguai e o turismo no Corredor Bioceânico

20 de dezembro de 2018 - 20:24:09
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília - A discussão e alinhamento das ações destinadas ao fomento da atividade turística no âmbito do Corredor Rodoviário Bioceânico, reuniu pesquisadores, empresários e representantes governamentais do Brasil, Chile, Argentina e Paraguai na quinta-feira, 13, na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), em Campo Grande.

O Secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, lembrou os mais de 50 anos de luta do Embaixador do Chile no Brasil, Fernando Schmit Ariztia, que participou do evento, pela consolidação dos corredores bioceânicos de integração sul americana e destacou também a atuação do diplomata brasileiro João Carlos Parkinson de Castro, Coordenador Nacional do GT e titular da Coordenação Geral de Assuntos Econômicos da América Latina e Caribe, do ministério das Relações Exteriores, classificando-o como um dos responsáveis diretos pelo avanço das discussões em torno do projeto.

Segundo Verruck, “as ações que estão sendo empreendidas colocam o turismo em evidência dentro dessa nova perspectiva que se observa com a Rota [Bioceânica]”. Ele destacou ainda as ações em andamento, como a prorrogação dos incentivos fiscais para os portos de Porto Murtinho, Ladário e Corumbá, que permanecem como zonas especiais de exportação até 2032, os projetos de grandes corporações privadas, que se encontram internalizados no Governo do Estado e preveem a construção de três portos adicionais em Porto Murtinho – e que não acontecem em modelo de concessão.

“Os estudos já tiveram início. Porto Murtinho vem se consolidando como um hub logístico dentro da América do Sul, com a questão rodoviária e hidroviária estabelecidas e em breve a aeroportuária, porque vamos resolver a questão da homologação do aeroporto daquele município”, afirmou.

Ele lembrou ainda das discussões mais recentes que o Estado está promovendo sobre a necessidade de utilização de contêineres na hidrovia, rota Bolívia, rio Paraguai, até os portos argentinos. “Estamos discutindo a possibilidade de colocar as cargas em contêineres, tanto em Corumbá, quanto em Porto Murtinho, inclusive frigorificado. Assim mudamos a percepção de logística só de minérios e de grãos”, revelou.

Jaime Verruck citou os números recordes da exportação de soja em grãos no Mato Grosso do Sul, que chegará a 5 milhões de toneladas neste ano, destacando que 10% desse produto já passa por Porto Murtinho e Ladário. “Conseguimos reativar a hidrovia como um corredor de exportação e logística. Enquanto observamos uma rota Bioceânica saindo num sentido, vemos Porto Murtinho se transformando num hub logístico, tanto com saída como chegada de cargas, olhando os portos chilenos”, disse.

Turismo

Complementando a fala da Secretária de Cultura e Turismo de Campo Grande, Nilde Brum, ele explicou que o grupo trabalha para que a Rila seja a primeira rota alfandegária da América do Sul, tendo tanto fluxo de cargas, quanto de pessoas. “Já estamos trabalhando com o Dnit. Temos em Porto Murtinho uma área para fazer toda a alfândega brasileira e paraguaia, reunindo Iagro, Polícia Federal, e órgãos fiscalizadores, para que possamos avançar neste quesito”.

Recentemente, o governo federal anunciou o repasse de US$ 80 milhões para a construção da ponte, com recursos da Itaipu Binacional. Agora, o desafio é viabilizar os projetos turísticos.  O grupo está criando um portfólio dentro da Fundect para que os editais foquem em projetos que tratam do desenvolvimento do Estado.

Nos dias 13 e 14 de dezembro, foram realizadas discussões sobre as potencialidades regionais e locais para o turismo, possibilitando aos pesquisadores o fortalecimento de parcerias, o conhecimento de novas proposições e a realização de eventuais realinhamentos em pesquisas. Os empresários também poderão identificar oportunidades e potencialidades para os negócios.