Brasília, 19 de novembro de 2018 - 06h22

Brasil corta R$ 900 milhões da Defesa, mas anuncia

01 de agosto de 2013
por: InfoRel
Compartilhar notícia:

Brasília - Nesta semana, o governo federal anunciou o corte de R$ 900 milhões do Orçamento da Defesa, ao mesmo tempo em que publicou no Diário Oficial da União, portaria criando o Grupo de Trabalho (GT) para ampliar a capacidade da Base Industrial de Defesa (BID) que deverá resultar numa nova estatal para fomentar a exportação e importação de produtos bélicos.



De acordo com a portaria publicada nesta quarta-feira, 31, o GT será coordenado pelos ministérios da Defesa e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio. Posteriormente, serão inseridos na discussão o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil).



A futura estatal terá como principal desafio, operacionalizar os contratos de compensação tecnológica, industrial e comercial. Neste sentido, dará suporte tanto na promoção como na comercialização de produtos importados e exportados.



Esta medida é parte de uma séria de mudanças que veem sendo implementadas na Defesa nos últimos anos. Desde a criação da Secretaria de Produtos de Defesa, o MD trabalha para melhorar as condições de negociação do Brasil com outros países, focando prioritariamente a transferência e o compartilhamento de tecnologia sensível.



Um dos projetos que podem ser beneficiados pela nova estrutura é o FX-2 que prevê a aquisição de 36 aviões de caça supersônicos para a Força Aérea Brasileira (FAB). Em compasso de espera desde 1998, o projeto pode ser finalmente concluído ao final de 2013 com a aquisição não apenas de novas aeronaves, mas de compensações comerciais e tecnológicas para o Brasil e a sua indústria de Defesa.



Recentemente, o governo criou com a aprovação do Congresso Nacional, a Amazônia Azul Tecnologias de Defesa (Amazul) e recuperou a Empresa Gerencial de Projetos Navais (Emgepron), também vinculada à Marinha, a Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A (Nuclep), uma das fornecedoras do programa de submarinos daquela força, e a Indústria de Material Bélico do Brasil (Imbel), próxima do Exército. Além disso, participa da Visiona Tecnologia Espacial S.A, do setor de satélites, com 49% do seu capital. A empresa é controlada pela Embraer que detém 51% das suas ações.

Assuntos estratégicos

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...
Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Brasília – Os primeiros anúncios feitos pelo presidente da República...
CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

Brasília – A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional...
Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Os chanceleres de Espanha, Josep Borrell, e do Brasil, Aloysio Nunes, mantiveram encontro de...
Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Em 25 de setembro de 2018, Sua Excelência a Senhora Sushma Swaraj, Ministra das...
Comunicado Conjunto do BRICS

Comunicado Conjunto do BRICS

Os Ministros das Relações Exteriores/Relações Internacionais do BRICS...