Relações Exteriores

Brasil vai reduzir importação de gás da Bolívia
30/03/2011
EUA teme que armas da Venezuela acabem em mãos err
30/03/2011

Brasil e Bolívia firmam cooperação para o combate

Brasil e Bolívia firmam cooperação para o combate ao narcotráfico

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, assinou nesta quarta-feira, 30, acordo de cooperação com a Bolívia para o combate ao narcotráfico.

 

A cerimônia coincidiu com a apreensão de duas toneladas de cocaína e a prisão de 35 pessoas, além de armas e dinheiro, resultado de operações conjuntas realizadas desde segunda-feira na fronteira entre os dois países.

 

No Brasil, há preocupação com o aumento crescente do volume de drogas que ingressa no país vinda da Bolívia.

 

José Eduardo Cardozo esteve em Puerto Suárez onde acompanhou as operações dos Veículos Aéreos Não-Tripulados (Vants) utilizados no Brasil em operações contra o narcotráfico.

 

Brasil e Bolívia decidiram ainda reativar as comissões de fronteira que lidam diretamente com os objetivos binacionais contra o narcotráfico, o crime organizado, o tráfico de armas, o contrabando e o tráfico de pessoas.

 

No dia 28 de abril, Puerto Suárez e Corumbá, receberão autoridades dos dois países quando serão discutidas medidas de combate aos ilícitos e que contribuam com o desenvolvimento dos municípios fronteiriços.

 

Segundo José Eduardo Cardozo, “a integração das equipes técnicas, a realização de cursos de formação conjunta para policiais e militares da Bolívia e do Brasil fortaleceram os nossos objetivos na luta contra o crime organizado”.

 

Estados Unidos

 

Brasil e Bolívia não descartam implementar uma cooperação trilateral com a assinatura de acordos que incluam os Estados Unidos neste esforço. Também o Peru será chamado a participar.

 

Cardozo deixou claro que o Brasil não pretende substituir a Agência Antidrogas dos Estados Unidos (DEA), expulsa da Bolívia em 2008.

 

Na segunda-feira, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, afirmou que o Brasil ajudará a Bolívia a combater o narcotráfico para que o crime organizado não ganhe na América do Sul as proporções que alcançou no México e na América Central.

 

Patriota explicou ainda que o Brasil pretende ampliar a cooperação para o combate ao narcotráfico com todos os países membros da União das Nações Sul-Americanas (UNASUL).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *