Destaque

Embrapa e Forças Armadas tratam de parceria para construção de satélite
29/06/2018
Uma crise em gestação no coração da Europa
02/07/2018

Brasil e China discutem o aprofundamento da cooperação bilateral

Brasília – Nesta quinta-feira, 28, o presidente Michel Temer, recebeu o chefe da delegação do Partido Comunista da China, Yang Xiaodu, com quem tratou do aprofundamento das relações bilaterais. “A China é nosso maior parceiro comercial. Temos uma relação política, econômica e cultural muito fértil com o país”, afirmou Temer.

No encontro, no Palácio do Planalto, o representante chinês reforçou que os países compartilham ideias e objetivos em comum e agradeceu a atuação do presidente da República nas relações bilaterais. Segundo ele, “hoje temos várias parcerias de sucesso, e em muitas delas vemos o seu empenho. Isso está anotado no coração dos chineses”, destacou Xiaodu.

“Estamos muito felizes em que o Brasil conseguiu enfrentar as dificuldades econômicas e que vai melhorar a cada dia”, avaliou o membro do Partido Comunista da China.

Temer e Xiaodu também conversaram a respeito da criação do Dia Nacional da Imigração Chinesa no Brasil, sancionada pelo presidente na terça-feira, 26, e que será comemorado em 15 de agosto. A data faz referência à chegada de um grupo de imigrantes chineses ao Brasil, em 1900, em busca de melhores condições e oportunidades de trabalho.

“Isso demonstra um sentimento de abertura e tolerância que tem o povo brasileiro. De estar de braços abertos para a comunidade internacional”, agradeceu Xiaodu.

Em 2012, Brasil e China firmaram a Parceria Estratégica Global e em junho do ano passado, em Pequim, realizou-se a segunda reunião deste mecanismo com a presença do presidente brasileiro. Na oportunidade, foram firmados acordos por cerca de US$ 17 bilhões.

Em maio deste ano, o chanceler Aloysio Nunes Ferreira visitou a China quando se reuniu com o vice-presidente Wang Qishan, o ministro de Exteriores, Wang Yi, o ministro de Comércio, Zhong Shan, e o diretor do Departamento Internacional do Partido Comunista, Song Tao.

Para o Itamaraty, a presença chinesa no Brasil é fundamental para alavancar projetos em áreas estratégicas como a energética. Neste sentido, destaca-se o papel da China National Petroleum Corporation (CNPC) em atividades de exploração de petróleo nos campos e Libras e Peroba. Além disso, a State Grid Corporation of China conta com mais de 10 mil km de linhas de transmissão de energia em operação e outros 6 mil em fase de construção. Presente no Brasil desde 2010, a empresa emprega 14 mil funcionários, dos quais apenas 100 são chineses.

Atualmente, a China acumula um estoque de US$ 55,4 bilhões em investimentos no Brasil, aplicados em 102 projetos. Há ainda a expectativa que a China participe em outros 160 projetos com um investimento estimado em US$ 71,3 bilhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *