Brasil

Forças Armadas
08/01/2015
Política Internacional
13/01/2015

Economia

Brasil e Colômbia fortalecerão o diálogo em matéria econômica

Brasília – Brasil e Colômbia irão fortalecer o diálogo em matéria econômica como forma de aproveitar melhor a capacidade produtiva das respectivas indústrias. Foi o que acertaram nesta quarta-feira, 7, os ministros da Fazenda dos dois países, Joaquim Levy y Maurício Cárdenas, em reunião realizada em Brasília.

De acordo com Cárdenas, os dois países vão reforçar a integração financeira com o objetivo de que as respectivas empresas aproveitem um mercado de capitais mais amplo.

Esta foi a primeira reunião de Joaquim Levy com um homólogo estrangeiro.

Os dois ministros também avaliaram o cenário internacional, sobretudo com a queda nos preços das commodities.

Segundo Maurício Cárdenas, “os dois países têm uma grande fortaleza que são suas bases produtivas. Também analisamos a situação dos mercados de produtos básicos com o objetivo de buscarmos alternativas para nos adaptarmos aos novos cenários de baixos preços”. Ele reforçou ainda o interesse do governo colombiano de que empresas brasileiras participem ativamente de projetos de infraestrutura na Colômbia que deverá investir cerca de US$ 25 bilhões em obras nos próximos anos.

Na avaliação do ministro colombiano da Fazenda, os dois países possuem economias que hoje estão melhor preparadas para enfrentar a redução nos preços das matérias primas que constituem a base de suas exportações.

Por outro lado, afirmou que o mercado de matérias primas pode ser um incentivo para os setores industriais que também podem aproveitar a recuperação da economia nos Estados Unidos.

Mauricio Cárdenas e Joaquim Levy discutiram ainda formas de Brasil e Colômbia atuarem em conjunto nos organismos internacionais tanto no plano bilateral como regional.

Neste sentido, para a Colômbia é fundamental que o Brasil tenha vontade política de trabalhar pela aproximação entre o Mercosul e a Aliança do Pacífico. Em relação aos investimentos mútuos, os dois ministros assumiram o compromisso de seguir promovendo a participação de empresas colombianas no Brasil e vice-versa. Atualmente, a Ecopetrol e o grupo de energia e comunicações ISA, são os que mais investem no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *