Relações Exteriores

Comércio Exterior
12/11/2014
Mercado
13/11/2014

Relações Bilaterais

Brasil e Estados Unidos discutem comércio e investimentos

Brasília – Com o objetivo de aperfeiçoar o ambiente de negócios, ampliar as trocas comerciais e incentivar a atração de investimentos estrangeiros, o secretário-executivo do MDIC, Ricardo Schaefer, participou, nesta terça-feira, de uma reunião com integrantes do Conselho Empresarial Brasil-EUA (Cebeu).

De acordo com Schaefer, o governo brasileiro está empenhado em ampliar as relações bilaterais. “Os EUA foram um grande parceiro no processo de industrialização do Brasil nas últimas décadas e continuam sendo um grande comprador de produtos manufaturados brasileiros. O objetivo do governo federal é criar mecanismos para intensificar e facilitar estas trocas comerciais” garantiu.

O ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) informou que representantes de 32 empresas integraram a delegação norte-americana, chefiada por Hélio Magalhães, presidente do Conselho de Administração da Câmara Americana de Comércio (Amcham). Entre os assuntos discutidos, estavam a facilitação de comércio de bens e serviços, acordos de parceria econômica bilateral, serviço de remessas expressas e coerência regulatória.

Schaefer também destacou características do mercado brasileiro que estimulam investimentos estrangeiros. “Tivemos uma expansão da classe média que agora se traduz em um mercado consumidor em amadurecimento, com consumo crescente e aumento de demanda por bens e serviços de maior valor agregado. Estima-se que em 2020 o Brasil será o quinto maior mercado consumidor do mundo, atrás apenas de EUA, China, Japão e Alemanha. Além disso, as oportunidades de investimentos em infraestrutura vão alavancar o crescimento do país nos próximos anos”, afirmou.

Os Estados Unidos são hoje o país com o maior estoque tanto de entrada quanto de saída de Investimento Estrangeiro Direto (IED) no mundo, e, de acordo com dados do Banco Central, continuam a ser o país com maior volume de investimentos no Brasil, no valor de US$ 125,4 bilhões.

Comércio

Nos dez primeiros meses de 2014, houve aumento de 7,8% das exportações brasileiras para os Estados Unidos, que passaram de US$ 20,8 bilhões para US$ 22,4 bilhões. Foi a maior taxa de expansão verificada entre os principais mercados de destino do Brasil, no período.

O MDIC revelou que o bom desempenho das vendas brasileiras ao mercado norte-americano, no acumulado de janeiro a outubro, elevou a participação dos EUA para 11,7% no total das vendas brasileiras, que é a maior representatividade daquele país desde 2009.

Os bens industrializados representaram, no período, 70,5% da pauta de exportações brasileiras para os EUA. Houve aumento nas vendas de produtos manufaturados (3,4%) e semimanufaturados (15,8%).

Entre os principais produtos exportados do Brasil para os Estados Unidos estão: petróleo em bruto, semimanufaturados de ferro ou aço, aviões, café em grãos, celulose, obras de mármore e granito, ferro fundido, soja em grão, hidrocarbonetos, motores e geradores elétricos, máquinas para terraplanagem e etanol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *