Defesa

Cooperação
26/06/2012
Forças Armadas
27/06/2012

Desenvolvimento

Brasil e Itália vão reforçar a Cooperação em Defesa

Brasília – Os ministros da Defesa do Brasil, Celso Amorim, e da Itália, Giampaolo Di Paola, se reuniram nesta terça-feira, 26, para discutir o aprofundamento das relações de Cooperação na área de Defesa e promover o intercâmbio de experiências entre as Forças Armadas dos dois países.

De acordo com o ministro Celso Amorim, a parceria entre Brasil e Itália já é antiga e precisa continuar. Ele expôs aos italianos projetos realizados conjuntamente com o país europeu e setores que podem gerar potenciais parcerias.

Além disso, ressaltou que dentro do Plano de Articulação e Equipamento de Defesa (Paed), um dos projetos prioritários para a Marinha é o Programa de Obtenção de Meios de Superfície (Prosuper). A iniciativa prevê a aquisição de novos navios de superfície e abrange 11 embarcações (cinco fragatas, cinco escoltas e um super navio de apoio).

O ministério da Defesa informou que a Itália é um dos países que tem interesse em desenvolver embarcações para o Brasil.

Giampaolo Di Paola destacou que o seu país não tem intenção apenas de comprar ou vender navios, “mas trabalhar junto” no desenvolvimento deles, com a devida transferência de tecnologia para aumentar a capacitação nacional brasileira.

Os dois ministros também conversaram sobre a histórica parceria entre Brasil e Itália no desenvolvimento do projeto dos jatos AMX, iniciado em 1980.

O AMX foi fundamental para que a Embraer adquirisse capacitação para a produção de aviões civis e militares. Foi ressaltado que é preciso continuar a cooperação ítalo-brasileira em logística no programa.

As aeronaves passam por um processo de modernização e a Força Aérea Brasileira (FAB) realizou o primeiro voo de um AMX modernizado no último dia 19.

Intercâmbio

Celso Amorim mencionou a experiência do Brasil em operações de paz, como no Haiti, e disse que “é uma boa oportunidade de cooperação nessa área”. Sobre o país caribenho, o ministro brasileiro reforçou a ideia da retirada gradual das tropas. “Não é bom para nós nem para eles que façamos a segurança do Haiti para sempre.”

Ele também elogiou o trabalho realizado pelos militares brasileiros no Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB), no Rio de Janeiro – responsável pelo treinamento das tropas. Amorim convidou os italianos para um futuro intercâmbio entre oficiais dos dois países nessa área.

Giampaolo Di Paola, por sua vez, convidou os militares brasileiros a conhecer o trabalho de combate aos grupos de piratas realizado por eles no Oceano Índico. Sobre esse aspecto, Amorim lembrou que é importante para o Brasil ver como se dá uma operação naval em outro teatro até porque, as ações de pirataria já chagaram no Atlântico Sul, principalmente no Golfo da Guiné.

O ministro da Defesa da Itália destacou a experiência do país no comando da Força Interina das Nações Unidas no Líbano, a Unifil – a qual o Brasil participa com o comando da Força-Tarefa Marítima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *