Brasília, 07 de abril de 2020 - 10h51
Brasil e Kuwait fortalecem relações com a abertura de mercados

Brasil e Kuwait fortalecem relações com a abertura de mercados

19 de fevereiro de 2020 - 11:18:51
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

O Kuwait foi um dos países em que a ministra da Agricultura visitou em setembro do ano passado, durante a missão ao Oriente Médio

Brasília - O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) confirmou na quinta-feira, 13, que o Kuwait passará a importar carne bovina do Brasil. A decisão veio menos de cinco meses depois da ministra Tereza Cristina ter visitado o país, quando o Kuwait já havia decidido abrir mercado para o mel brasileiro. "Mais uma boa notícia de abertura de mais um mercado para a carne bovina brasileira: o Kuwait, país que visitamos em setembro, quando iniciamos essa conversação. Hoje veio a boa notícia de mais um mercado para a carne bovina brasileira", afirmou a ministra Tereza Cristina.

Atualmente, a carne de frango (in natura) é o produto agropecuário brasileiro mais comprado pelo Kuwait. Em 2018, foram importadas 122.945 toneladas, o equivalente a US$ 185,7 milhões. O Brasil também exporta para o Kuwait milho, suco de laranja, café solúvel, farelo de soja, café verde, carne de frango (industrializada), carne de pato (in natura), castanha de caju e carne de peru (in natura). No ano passado, as exportações agropecuárias para o Kuwait totalizaram US$ 209,4 milhões, o equivalente a 215.463 toneladas.

Mel

A ministra Tereza Cristina destacou ainda o anúncio feito em 2019, da abertura do mercado do Kuwait para o mel do Brasil. Desde 2016, os produtores brasileiros aguardavam essa autorização pelo país árabe. Com a certificação sanitária concluída pelo governo do Kuwait, “o Brasil pode exportar mel imediatamente”, disse a ministra. 

Em setembro, ela reuniu-se com a diretora do Comitê Supremo da Autoridade Pública para Segurança Alimentar, Reem Al Fulaij, e o diretor-geral da Autoridade Pública para Agricultura e Pesca, xeique Mohammed Al Sabah.

Nas reuniões, Tereza Cristina discutiu detalhes acerca da nova emissão de certificados de exportação e cooperação técnica na área de pesca e aquicultura. Segundo ela, a Embrapa pode contribuir nesta missão, pois já detém dois centros de pesquisa e criação de peixes em cativeiro.

Tereza Cristina também visitou o diretor-geral do Fundo Kuwaitiano para o Desenvolvimento Econômico Árabe, Abdulwahab Al Bader, com quem conversou sobre a possibilidade de o fundo investir cerca de US$ 50 milhões em projetos do AgroNordeste, programa a ser lançado que tem o objetivo de alavancar a produção agropecuária no semiárido, gerar renda para pequenos produtores e a inclusão deles no sistema produtivo e de crédito nacional.

No ano passado, as exportações agropecuárias para o Kuwait totalizaram US$ 209,4 milhões, o equivalente a 215.463 toneladas. Não há registros de importações de produtos do país árabe.