Agenda

Dilma Rousseff fala em valorização do trabalho das
05/04/2011
Brasil e Suécia voltam a debater cooperação bilate
06/04/2011

Brasil e o Mundo: Oportunidades, Ambições e Escolh

Brasil e o Mundo: Oportunidades, Ambições e Escolhas

Nesta quinta-feira, 7, o Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI) e a Chatham House, do Reino Unido, realizam a Conferência Internacional “O Brasil e o Mundo: Oportunidades, Ambições e Escolhas”, que reunirá no Rio de Janeiro, especialistas brasileiros e estrangeiros.

 

De acordo com o CEBRI, A emergência de novos desafios globais tem posto em cheque a eficácia das estruturas globais existentes e dos poderes tradicionais. Dessa forma, novas estruturas, abordagens e atores parecem ser necessários.

 

O Brasil emergiu no cenário mundial como um global player destacando-se na área econômica, de recursos naturais e political heavy-weight.

 

Mas que tipo de papel global o Brasil e os brasileiros querem desempenhar? Quais são os limites dos anseios do Brasil para fazer mais? Como o Brasil pode usar o seu status de país em desenvolvimento para alavancar a reforma da Governança Global? Como o Brasil pode exercer uma liderança no mundo? A história brasileira constitui um modelo para os outros? Existe um Brazilian Way para conduzir as relações internacionais e a diplomacia? O que os outros países, poderes tradicionais e potências emergentes podem esperar do Brasil como um ator global?

 

Refletir acerca desses questionamentos é um dos objetivos da Conferência que pretende estimular o intercâmbio de opiniões e experiências entre formadores de opinião no Brasil e no Mundo, sobre a trajetória brasileira no cenário internacional, sob a perspectiva do governo, organizações internacionais, academia, setor privado e sociedade civil.

 

Programação

 

08h – Registro

 

08h45 – Sessão de Abertura

Embaixador José Botafogo Gonçalves, Presidente do Conselho Curador do CEBRI

Robin Niblett, Diretor Chatham House

 

09h15 Primeira SessãoBrasil e o Mundo: oportunidades, ambições e escolhas

Há um “The Brazilian Way” na política externa brasileira? Como a presença permanente do Brasil no Conselho de Segurança da ONU afetaria a forma como a comunidade internacional lida com as tensões internacionais? O Brasil pode projetar-se como uma ponte entre o Norte e o Sul? Que novas idéias o Brasil pode promover internacionalmente? Quais devem ser as ambições e prioridades internacionais do Brasil na próxima década?

 

Moderador

Robin Niblett, Diretor, Chatham House

 

Debatedores

Celso Lafer, Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)

Luis Fernandes, Professor do Instituto de Relações Internacionais da PUC –Rio. Ex-presidente da Finep

Rathin Roy, Diretor, International Policy Centre for Inclusive Growth (IPC-IG)

 

11h – Segunda SessãoBrasil como uma potência econômica e em recursos naturais

Como a economia brasileira é vista internacionalmente? Há uma visão brasileira de desenvolvimento sustentável? Como o Brasil pode contribuir para uma agenda positiva de segurança energética, alimentar e de recursos hídricos? Como o Brasil pode utilizar seu potencial bioenergético e aumentar seu status de agente global em negociações energéticas e de mudança climática? O Brasil utilizará os seus recursos naturais como instrumento de política externa?

 

Moderador

Henrique Rzezinski, Conselho Curador, CEBRI Palestrante de Honra

 

Rt Hon Caroline Spelman MP, Secretária de Estado do Departamento de Meio Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais, Reino Unido

 

Speaker Panel

Daniel Domingues dos Santos, Professor de Economia do IBMEC

Jean-Claude Thébault, Diretor Geral do Bureau of European Policy Advisers (BEPA), European Union

Joaquim Levy, Direção de Gestão e Estratégia do Bradesco Asset Management (BRAM)

 

14h – Terceira SessãoBrasil como um ator de Desenvolvimento e Segurança Global

Como o Brasil conseguirá o equilíbrio entre desenvolvimento e segurança? Qual a contribuição do Brasil para o debate acerca dos desafios do desenvolvimento e da segurança global? Qual é o potencial da cooperação Sul-Sul em nível global? Como a natureza dinâmica das alianças globais e do equilíbrio de poder afetarão as prioridades do Brasil? O Brasil se tornará um legítimo e eficaz mediador das tensões da América do Sul? O Brasil reúne condições para atuar como um  soft power  fora de sua região?

 

Moderador

Robin Lustig, BBC

 

Palestrante de Honra

Nelson Jobim, Ministro da Defesa, Brasil

 

Speaker Panel

Heraldo Muñoz, Diretor regional do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) para América Latina e Caribe

Jamal A. Khokar, Embaixador do Canadá no Brasil

Marco Farani, Diretor, Agência Brasileira de Cooperação (ABC), do Ministério das Relações Exteriores, Brasil

 

15h30 Sessão de EncerramentoO Brasil no Mundo em Transição

Quais são as expectativas para o Brasil como potência emergente no mundo em transição? O que o mundo pensa e espera do Brasil hoje? O que o Brasil espera de seu relacionamento com a Europa e o Ocidente? Como o Brasil deveria participar da nova dinâmica econômica, ambiental e militar na próxima década? Qual deve ser o papel do Brasil no desenvolvimento das Instituições Multilaterais?

 

Speaker Panel

Roberto Jaguaribe

Embaixador do Brasil no Reino Unido

Alan Chartoln

Embaixador do Reino Unido no Brasil

 

Considerações Finais

Embaixador José Botafogo, Presidente, CEBRI

Robin Niblett, Diretor, Chatham House

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *