Agenda

Política
04/10/2016
Integração Regional
04/10/2016

Integração Regional

Brasil e Paraguai vão fortalecer a luta contra o crime organizado

Brasília – Brasil e Paraguai decidiram nesta segunda-feira, 3, fortalecer a luta conjunta contra o crime organizado, aumentar a conectividade entre os dois países e ampliar o comércio bilateral, como resultado da visita oficial do presidente Michel Temer a Assunção.

Ele e o presidente paraguaio Horacio Cartes consideram prioritária a luta contra o crime organizado transnacional e para tanto intensificarão a cooperação judicial e policial, que permita combater com maior eficácia os delitos transnacionais e os efeitos do crime nos dois países. Os chanceleres Eladio Loizaga e José Serra também participaram da reunião.

Os dois presidentes também decidiram implementar as medidas aprovadas na V Reunião da Comissão Mista Paraguaio-Brasileira sobre Drogas e Temas Conexos, realizada em Assunção nos dias 4 e 5 de março do ano passado, e confirmaram a realização da próxima reunião do mecanismo no primeiro trimestre de 2017, em Brasília. Além disso, Brasil e Paraguai vão coordenar ações para a Reunião Ministerial do Cone Sul sobre Segurança nas Fronteiras, no dia 8 de novembro, em Brasília.

Comércio

Brasil e Paraguai decidiram fortalecer o comércio bilateral e a atração mútua de investimentos. O Brasil é o principal parceiro comercial do Paraguai e os dois países irão impulsionar as cadeias produtivas de valor mediante o aumento da presença de empresas brasileiras no Paraguai.

Apenas nos últimos três anos, mais de 80 empresas do Brasil instalaram-se no país vizinho. São empresas de embalagens, plásticos, brinquedos, confecções, autopeças, calçados e frigoríficas.

No encontro entre Temer e Cartes, ficou decidido ainda que Brasil e Paraguai vão acelerar as negociações bilaterais para a conclusão do acordo automobilístico. Quanto à conectividade geográfica, serão retomadas as negociações para a construção de duas pontes e fortalecido o potencial alimentício regional com o objetivo de ampliar as exportações para vários mercados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *