Defesa

Parceria Estratégica
19/12/2012
Árabes reconhecem papel do Brasil sobre a Palestin
19/12/2012

Indústria de Defesa

Brasil e Peru vão discutir compras militares em acordo

Brasília – Brasil e Peru decidiram criar um grupo de trabalho que vai dar forma a um futuro acordo sobre compras e o desenvolvimento de equipamentos militares. Foi o que decidiram os ministros da Defesa Celso Amorim e Pedro Cateriano Bellido, nesta segunda-feira, 17.

O grupo de trabalho binacional irá estudar os aspectos econômico-financeiros e jurídicos de futuras operações de compra e venda de equipamentos e de transferência tecnológica na área de defesa. O acordo começou a ser desenhado em Lima durante a reunião de ministros do Conselho de Defesa Sul-Americano (CDS) da UNASUL, em novembro.

De acordo com o ministério da Defesa, uma das prioridades para ambos os países é a proteção da Amazônia contra crimes transnacionais como o narcotráfico, por exemplo.

O Peru tem especial interesse na experiência brasileira com o Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).

Na reunião do CDS, foi aprovado ainda o Plano de Ação para 2013 que contempla a criação de um sistema semelhante ao Censipam para apoiar o mapeamento e monitoramento de áreas isoladas da Amazônia, dos Andes e do Chaco.

O ministro Celso Amorim afirmou que as relações do Brasil com o Peru são estratégicas e que o principal objetivo é fortalecer a cooperação para que o país vizinho possa combater os ilícitos transnacionais com as melhores ferramentas.

Pedro Cateriano Bellido por sua vez, destacou que a parceria com o Brasil é prioritária para o governo peruano que tem interesse na aquisição de aviões da Embraer de alarme aéreo antecipado (AEW) para a vigilância aérea.

Na área naval, o Brasil tem interesse na cooperação para a construção de navios-patrulha fluviais. Amorim destacou ainda o início da produção, no Brasil, de uma nova geração de blindados sobre rodas, denominada Guarani, equipamento com grande potencial de comercialização.

O ministro da Defesa ressaltou ainda o trabalho realizado em conjunto com os países vizinhos nas Operações Ágata, iniciativa prevista no Plano Estratégico de Fronteiras (PEF). “Nós sempre avisamos aos países fronteiriços quando as ações começam e é importante que isso seja feito em cooperação. Nós fazemos do nosso lado e vocês do outro”, reiterou o ministro.

Equipamentos

O Peru quer ainda que representantes brasileiros conheçam a empresa Serviços Industriais da Marinha (SIMA), que fabrica embarcações fluviais e petrolíferas naquele país. Um dos seus principais clientes é o governo francês.

A SIMA também pretende firmar parceria com a Petrobras.

Para tanto, o Comandante da Marinha peruana, almirante Carlos Roberto Tejada Mera virá ao Brasil em fevereiro de 2013.

Além disso, os militares peruanos manifestaram interesse em enviar alunos para o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *