Relações Exteriores

Conselho de Defesa da UNASUL se reúne em Lima
26/11/2012
Oriente Médio
02/12/2012

Política

Brasil e Polônia apoiam criação do Estado Palestino

Brasília – Os ministros das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, e da Polônia, Radosław Sikorski, apoiaram nesta segunda-feira, 26, a criação do Estado Palestino. Enquanto o brasileiro anunciou que votará a favor do ingresso palestino nas Nações Unidas com o status de Estado Observador, o polonês deverá seguir o voto da União Europeia – que está dividida em relação ao tema.

Patriota e Sikorski também anunciaram o interesse dos dois países em fortalecer as relações comerciais entre o Brasil e a Polônia.

Segundo Antonio Patriota, “o Brasil apoia um Estado palestino participando das Nações Unidas.

Apoia inclusive a participação plena como membro [da organização]. Mas o que está em pauta é o status de observador não pleno, pleito que tem apoio considerável”.

Ele destacou ainda que espera a retomada, o mais breve possível, de negociações de paz que levem a um acordo para que os dois Estados “convivam lado a lado”.

O chanceler polonês explicou que o seu país também apoia a concessão à Palestina do status de observador na ONU e, futuramente, o de Estado independente.

Na avaliação da diplomacia brasileira, a concessão do status de Estado Observador da ONU, poderá permitir a abertura das discussões em torno da criação do Estado Palestino independente.

Como Estado Observador, a Palestina não poderá votar nas Nações Unidas.

Essa discussão acontecerá nos dias 28 e 29, em Nova York, e o Brasil atua como copatrocinador do diálogo em prol dos palestinos.

Em relação às tensões entre Israel e Gaza, o chanceler brasileiro foi taxativo: “Manifestamos o repúdio à violência na Faixa de Gaza, o uso desproporcional da força, e conclamamos o Conselho de Segurança a assumir plenamente as suas responsabilidades”.

Brasil – Polônia

No encontro entre Antonio Patriota e Radoslaw Sikorski, ficou claro o desejo de ambos os países em fortalecer as relações comerciais como forma de enfrentar a crise econômica. O ministro polonês desembarcou no Brasil com uma delegação de 60 empresários e além de Brasília, visitará São Paulo e Rio de Janeiro.

A Polônia tem especial interesse nas áreas de gás, petróleo, infraestrutura e indústria pesada.

Nos últimos anos, o comércio entre os dois países tem registrado taxas significativas de crescimento. Entre 2007 e 2011, o intercâmbio comercial aumentou 76%, passando de US$ 540 milhões para US$ 948 milhões no período.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *