Brasil é pressionado para aumentar presença na costa ocidental africana

A Embaixada do Brasil em Cabo Verde, através da adidância de defesa e naval tem recebido manifestações informais de interesse de autoridades civis e militares locais e dos representantes dos membros da OTAN para uma maior ação presencial junto à costa ocidental africana.

Nesse sentido, segundo o atual Embaixador brasileiro em Praia, José Carlos de Araújo Leitão, eventuais tratativas e processos decisórios concernentes a incremento da participação cooperativa e presencial brasileira no âmbito da “Arquitetura de Iaundê”, particularmente em sua Zona G, estariam de fato embasadas, em tese, em recorte cabo-verdiano favorável, em face da proximidade e posição geoestratégica em relação ao Brasil; dinâmica de considerável porção do tráfego marítimo brasileiro; da rota marítima comum de ilícitos como tráfico de drogas e pesca ilegal; baixa incidência de crimes praticados por grupos armados nas águas jurisdicionais cabo-verdianas; estabilidade política e segurança urbana; pleno apoio logístico local para meios navais e aéreos; presença da Guiné-Bissau na Zona G e, ao sul, de outros membros da CPLP; e sólida cooperação militar-naval existente na área de formação de pessoal.

Marcelo Rech – 22/07/2020

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *