Relações Exteriores

Seminário
12/11/2014
Comércio Exterior
12/11/2014

Oriente Médio

Brasil e Qatar vão ampliar a cooperação em Defesa

Brasília – Os governos do Brasil e do Qatar decidiram ampliar a cooperação em Defesa durante a escala técnica realizada pela presidente Dilma Rousseff àquele país a caminho da reunião do G-20 na Austrália. A Embraer irá negociar a venda de vários modelos de aeronaves militares com foco especial no cargueiro KC-390.

Dilma Rousseff e o emir do Qatar, Tamim Bin Hamad Al Thani, se reuniram em Doha nesta quarta-feira, 12, e ela anunciou que os dois países irão formar um grupo de trabalho de alto nível para atuar em pontos de interesse comum.

Um dos objetivos é ampliar a cooperação entre os países também em áreas como gás natural, educação e infraestrutura. Em Defesa já existe uma discussão para a compra de aviões da fabricante brasileira.

Os dois países mantém relações há 40 anos. Gás e fertilizantes são os principais produtos importados pelo Brasil que, por sua vez, exporta alimentos, entre outros. De acordo com a presidente, além das relações bilaterais, ela e o emir do Qatar conversaram “muito” sobre a situação política do Oriente Médio e o conflito entre Israel e Palestina.

O Brasil também ofereceu ajuda ao Qatar na organização da Copa do Mundo de 2022 no país árabe. Não foi tratada, contudo, uma parceria em um setor específico da organização da competição. O Qatar planeja ter todos os estádios prontos em 2019, três anos antes da Copa, que em 2018 será realizada na Rússia.

Os dois chefes de Estado também conversaram sobre a exploração de petróleo na camada de pré-sal no Brasil, e de gás, no Qatar, o terceiro maior produtor mundial segundo a Agência Internacional de Energia, atrás de Estados Unidos e Rússia. Os custos elevados da exploração de petróleo por meio da perfuração de rochas, processo que está crescendo, sobretudo, nos Estados Unidos, também foi discutida entre Dilma e Al Thani.

A presidente viaja acompanhada do ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado, e o assessor especial da Presidência, Marco Aurélio Garcia.

Educação

Depois de se reunir com Al Thani, Dilma Rousseff teve um encontro com a presidente da Qatar Foundation, Mozah Bint Nasser, na sede da instituição. Nesta reunião, o tema principal foi educação, sobretudo a universalização do ensino fundamental.

A presidente brasileira afirmou que o programa Ciências sem Fronteiras, pelo qual o governo federal concede bolsa de estudos para brasileiros estudarem em outros países, poderá ser beneficiado por intercâmbios com o Qatar.

Além disso, pesquisadores da pós-graduação poderão atuar no sistema de ensino superior do país árabe. Ainda na área da educação, será avaliada a possibilidade de compartilhar com o Qatar documentos da Biblioteca Nacional que demonstrem a influência da cultura árabe no Brasil.

KC-390

Os países do Oriente Médio são algumas das nações que poderão se tornar clientes do novo cargueiro militar da Embraer, o KC-390. O primeiro protótipo do modelo foi apresentado em 21 de outubro e testes de voo deverão começar ainda neste ano.

A fabricante estima que este avião terá um mercado de mais de 70 países e prevê que as nações do Oriente Médio poderão comprar o jato porque ele tem características que atendem os requisitos da região.

O diretor do programa Paulo Gastão, afirmou nesta terça-feira, 11, que o projeto do novo modelo levou em consideração as necessidades dos países árabes.

“Na concepção do KC-390 atenção especial foi dada a operações em ambientes adversos, incluindo clima muito quente, com o uso das mais avançadas tecnologias disponíveis. O interesse demonstrado (pelo mercado) confirma que as soluções escolhidas atendem às expectativas dos operadores da região”, afirmou.

O KC-390 foi desenvolvido numa parceria entre a Embraer e a Força Aérea Brasileira (FAB). De acordo com informações da FAB, o investimento total no projeto é de R$ 12,1 bilhões. Desse total, R$ 4,9 bilhões são destinados ao desenvolvimento do avião e R$ 7,2 bilhões serão pagos pela FAB na compra de 28 aeronaves. A primeira delas deverá integrar a frota da Força Aérea Brasileira em 2016.

A estimativa é que o mercado para o KC-390 alcance cerca de 700 aeronaves. Além das 28 unidades já adquiridas pela FAB, outros 32 aviões devem ser encomendados.

No ano passado, a fabricante brasileira anunciou uma parceria com a norte-americana Boeing que irá liderar as campanhas de venda do novo avião e oferecerá suporte e treinamento nos Estados Unidos, Reino Unido e em mercados do Oriente Médio. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *