Defesa

Cúpula das Américas
08/04/2015
Contraponto
08/04/2015

Gripen NG

Brasil e Suécia firmam acordo de cooperaçãotecnológica aeroespacial

Brasília – Brasil e Suécia assinaram no início do mês, acordo de transferência de tecnologia aeroespacial no marco do contrato para a venda de 36 aviões de caça Gripen NG. O anúncio foi feito pelo presidente do Conselho de Administração do grupo financeiro sueco Skandinaviska Enskilda Banken (SEB), que controla a SAAB, Marcus Wallenberg, após audiência que teve com a presidente Dilma Rousseff. O representante da empresa sueca reafirmou que o primeiro caça deverá ser entregue ao Brasil em 2019.

Pelo acordo de cooperação aeroespacial, um grupo de professores suecos se estabelecerão no Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos (SP). Além disso, será criado um curso de pós-doutorado em Engenharia Aeronáutica 100% financiado pela SAAB e o governo da Suécia. Este curso também será implementado no ITA.

De acordo com o ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), a parceria inclui ainda suporte para a permanência de doutores suecos no Brasil e a concessão de bolsas de mestrado e doutorado para cientistas brasileiros, no âmbito do Programa Ciência Sem Fronteiras. O MCTI informou que o objetivo é ampliar a cooperação para áreas como energia sustentável, tecnologia ambiental, defesa, segurança, transportes e desenvolvimento urbano.

Espaço

A Agência Espacial Brasileira (AEB), vinculada ao MCTI, informou que a estatal sueca Swedish Space Corporation (SSC) é cliente do foguete brasileiro VSB-30, produzido pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), órgão de pesquisa do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) da Força Aérea Brasileira (FAB).

O VSB-30 é utilizado pela Agência Espacial Europeia (AEE) em substituição ao Skylark e são lançados da base espacial de Esrange (Kiruna). No total, 12 foguetes brasileiros foram lançados pela AEE. Trata-se de um foguete desenvolvido em 2001 a pedido da Agência Espacial Alemã (DLR), para atender ao programa europeu de micro-gravidade.

Além do Brasil e da AEE, também a Alemanha, Noruega e Suécia, realizaram lançamentos com o VSB-30, desde bases europeias e da brasileira em Alcântara.

No dia 31, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, recebeu Wallenberg, para tratar do processo de transferência de tecnologia associada ao desenvolvimento dos aviões de combate Gripen NG.

Wallenberg informou que a SEB prioriza a aeronáutica como área de pesquisa aplicada e lembrou que o projeto de desenvolvimento dos caças deve ocorrer nos dois países, paralelamente. “A SAAB levará 150 engenheiros e técnicos brasileiros para a Suécia, onde poderão estudar a tecnologia da aeronave. Isso é necessário justamente para que ao voltar possam executar toda a parte de fabricação, montagem e desenvolvimento”, afirmou.

Ele destacou a “larga experiência brasileira” na produção de aeronaves comerciais e defendeu que a cooperação bilateral pode ajudar a trazer para a indústria nacional a última geração de tecnologia de defesa. “Essa relação estratégica que se inicia deve durar pelo menos 30 anos. É um projeto que, como todo caça, tem um desenvolvimento contínuo, motivo pelo qual precisamos trazer indústria e universidades a bordo da iniciativa”.

Intercâmbio

De acordo com o secretário executivo do MCTI, Alvaro Prata, com a cátedra, a SEB financiará o trabalho de um cientista sueco no ITA por determinado período, “fazendo pesquisa, orientando alunos, ministrando cursos e atuando em laboratório na área de engenharia aeronáutica”.

O sueco recordou que a SAAB apoia o acordo firmado em março de 2012 entre o Conselho Nacional de Desenvolvimento Tecnológico (CNPq) e o Centro de Pesquisa e Inovação Sueco-Brasileiro (Cisb), para concessão de 100 bolsas de doutorado, pós-doutorado e pesquisador sênior no âmbito do Ciência Sem Fronteiras. Hoje, no quarto edital, aberto até 15 de maio, a parceria já enviou 40 brasileiros para universidades suecas.

A chamada vigente oferece 15 bolsas de estudo na área de aeronáutica, com ênfase em eletrônica, materiais e manufatura, sistemas de engenharia mecânica e tecnologias da informação e comunicação (TICs). Os pesquisadores contemplados desenvolvem seus projetos em universidades de excelência e podem realizar estágios ou participar de trabalhos na SAAB. Até o momento, 166 brasileiros estudam na Suécia por meio de bolsas concedidas pelo Ciência Sem Fronteiras.

Inaugurado em 2011, em São Bernardo do Campo (SP), o Cisb busca identificar, desenvolver e apoiar projetos de alta tecnologia. O modelo operacional é inspirado em parques tecnológicos suecos. O centro atua como facilitador, catalisador e gestor da rede colaborativa dos dois países.

O Escritório do Programa Internacional de Educação e Formação (IPO, na sigla em inglês), ligado ao governo sueco, também mantém parceria com o programa de mobilidade acadêmica, por meio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *