Brasília, 30 de setembro de 2020 - 02h42
Brasil e Suécia reforçam cooperação com diálogo do Mecanismo Político-Militar

Brasil e Suécia reforçam cooperação com diálogo do Mecanismo Político-Militar

06 de fevereiro de 2020 - 09:36:37
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília - Representantes dos Ministérios das Relações Exteriores e da Defesa do Brasil e da Suécia se reúnem nesta quinta-feira, 6, em Brasília, para a 4ª edição do Diálogo 2+2, reunião do Mecanismo Político-Militar bilateral. Além de Embaixadores e diplomatas dos dois países, autoridades civis e militares responsáveis por temas estratégicos também participarão do encontro.

O Diálogo 2+2 está inserido no âmbito do novo Plano de Ação da Parceria Estratégica assinado entre os dois países em 2015, em Estocolmo, quando reafirmaram o interesse com a cooperação bilateral em matéria política e de defesa, notoriamente fortalecida pela parceria industrial e tecnológica desenvolvida pelo projeto dos caças Gripen.

De acordo com a Embaixada da Suécia no Brasil, esse mecanismo de diálogo político-estratégico-militar foi criado com o objetivo de intensificar a compreensão mútua e o intercâmbio de diferentes perspectivas sobre questões relacionadas à cooperação bilateral na área de defesa, segurança internacional e temas da agenda global e regional. Os encontros são organizados anualmente e alternadamente em uma das respectivas capitais.

Já o Itamaraty destacou que o estabelecimento do Plano de Ação da Parceria Estratégica de 2009, atualizado em 2015, permitiu que Brasil e Suécia aprofundassem a parceria que, além da fluidez do diálogo político, prevê maior interação na área econômico-comercial e o desenvolvimento de projetos conjuntos em diversos campos.

O Plano de Ação recomenda iniciativas para a efetiva implementação dos mecanismos e acordos bilaterais, de modo a reforçar a cooperação nas áreas de comércio e investimentos; defesa; educação; ciência, tecnologia e inovação; meio ambiente; energias renováveis; seguridade social; e cultura.

Na área da defesa, a celebração, em outubro de 2014, do contrato comercial entre a Força Aérea Brasileira e a Saab para a aquisição e o desenvolvimento conjunto de 36 caças Gripen NG, ao custo aproximado de US$ 5,4 bilhões (o maior contrato de exportação da história da empresa sueca), seguido pela assinatura do contrato financeiro, em agosto de 2015, marcou o aprofundamento da cooperação em aeronáutica militar, no contexto da Parceria Estratégica entre os dois países.

Na visão da diplomacia brasileira, essa parceria no projeto Gripen NG tornou-se a mais bem-sucedida e visível iniciativa de cooperação bilateral, capaz de gerar externalidades positivas para outros setores da economia brasileira.

A cooperação bilateral no domínio da aeronáutica ganhou nova dinâmica com a criação, em outubro de 2015, do Grupo de Alto Nível em Aeronáutica (GAN), conformado por representantes militares e civis de entidades públicas e privadas dos dois países que se dedicam a potencializar os efeitos de transbordamento da cooperação estabelecida no projeto de cofabricação dos caças Gripen NG para outras cadeias produtivas. O GAN reúne-se anualmente.

No tocante a ciência, tecnologia e inovação, constituiu importante passo na cooperação bilateral a criação, em 2011, do Centro de Pesquisa e Inovação Sueco-Brasileiro (CISB), com expressivo suporte financeiro da Saab. Com sedes em São Bernardo do Campo e Gotemburgo, o CISB propõe-se a ser arena de inovação aberta a empresas, agências governamentais e instituições acadêmicas do Brasil e da Suécia, com foco no setor aeronáutico, mas também abrangendo outros temas, como desenvolvimento urbano.

Grandes empresas suecas de renome e atuação mundial mantêm unidades produtivas no Brasil, tais como Scania, Ericsson, Electrolux, Stora Enso (por meio da "joint-venture" Veracel), SFK e Tetra Pak. Estima-se que haja mais de 60 mil pessoas trabalhando em cerca de 220 empresas suecas no Brasil. Devido à concentração dessas empresas em São Paulo, a cidade é considerada a "segunda cidade industrial da Suécia".

O principal investimento sueco no Brasil refere-se à empresa Saab. Em dezembro de 2013, após o governo brasileiro anunciar a empresa como vencedora de licitação internacional para a compra do novo avião de combate brasileiro, a Saab destacou que realizaria investimento inicial de US$ 150 milhões para a construção da fábrica em São Bernardo do Campo, onde são produzidas as estruturas para o Gripen.

Em novembro de 2016, a Saab e a Embraer Defesa e Segurança inauguraram, em Gavião Peixoto, Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen com vistas a promover o desenvolvimento tecnológico do caça sueco no Brasil.