Relações Exteriores

II Reunião Plenária do Grupo de Alto Nível Brasil
17/05/2014
INB transporta produção de urânio para a Europa
17/05/2014

Comércio

Brasil e Uruguai firmam acordo no setor naval

Brasília – Brasil e Uruguai assinaram nesta quinta-feira, 15, em Montevidéu, o Acordo Naval e Offshore para integração produtiva bilateral, considerado um marco na relação comercial entre os dois países e no Mercosul. “Demos um passo essencial para a integração produtiva de um dos setores mais dinâmicos da economia”, afirmou o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Mauro Borges.

“Com isso, o setor naval, ao lado da cadeia automotiva, passa a figurar entre os segmentos com maior integração e complementaridade entre os países do Mercosul”, assegurou. Leia o Comunicado Conjunto em http://www.inforel.org/noticias/noticia.php?not_id=5804&tipo=2

De acordo com o MDIC, o documento é resultado de um esforço conjunto entre vários órgãos do governo brasileiro. Além do próprio ministério, as pastas de Minas e Energia, Relações Exteriores e dos Transportes e a Agência Nacional de Petróleo (ANP) também participaram das negociações.

O documento foi assinado durante a II Reunião Plenária do Subgrupo de Integração Produtiva do Grupo de Alto Nível bilateral (GAN) para o setor naval, do Mercosul.

Com o acordo, os dois países assumem o compromisso de promover o acesso recíproco de bens e serviços de empresas brasileiras e uruguaias. Também estabelecem o reconhecimento mútuo de conteúdo local, desde que a certificação seja efetuada por empresa certificadora atuante no Brasil e no Uruguai, e tenha chancela de certificação realizada por técnico credenciado junto à autoridade competente do país importador – no Brasil, a ANP.

A administração do acordo ainda prevê a formação de um Comitê Naval e Offshore Bilateral, coordenado no Brasil, pelo MDIC, e no Uruguai, pelo ministério correspondente.
Construção Naval

O governo federal informou que a indústria de construção naval brasileira passa por um momento de prosperidade, com crescimento tanto em tonelagem de processamento de aço quanto no número de empregos gerados. Em 2000, o setor gerou 1.910 postos de trabalho, chegando a 78 mil empregos diretos em 2013.

Os investimentos em embarcações totalizaram R$ 3,7 bilhões em 2013, e em estaleiros, R$ 1,3 bilhão. Ano passado, foram entregues 77 embarcações – 44 para navegação interior, 21 para apoio offshore, 8 para apoio portuário e 4 para cabotagem.

Estão na carteira de estaleiros nacionais 73 navios de apoio marítimo (incluindo novos contratos recentemente anunciados pela Petrobras); navios petroleiros, de produtos, gaseiros e transporte de bunker; plataformas de produção, construções/integrações de módulos para plataformas, sondas de perfuração, navios graneleiros, navios porta-contêineres, rebocadores e comboios (combinação de empurradores e barcaças), além de embarcações para a Marinha do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *