Brasília, 07 de abril de 2020 - 09h26
Brasil e Uruguai terão agenda de cooperação fortalecida

Brasil e Uruguai terão agenda de cooperação fortalecida

28 de fevereiro de 2020 - 16:02:55
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília – No próximo domingo, 1º, o presidente Jair Bolsonaro participará das cerimônias de posse do presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, e marca uma nova etapa da relação com o país vizinho. Ele estará acompanhado dos ministros Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, e Augusto Heleno, do GSI, do senador Luiz Carlos Heinze (PP-RS) e do deputado Celso Russomano (Republicanos-SP).

Não há previsão de reuniões bilaterais, mas Jair Bolsonaro deverá aproveitar o evento para conversar informalmente com os demais líderes sul-americanos, como os presidentes do Chile, Sebastián Piñera, e do Paraguai, Mario Abdo Benítez. Lacalle Pou, por sua vez, já informou que pretende visitar o Brasil antes da próxima cúpula do MERCOSUL, que será realizada entre os meses de junho e julho.

O Embaixador Pedro Miguel da Costa e Silva, Secretário de Negociações Bilaterais e Regionais nas Américas do Itamaraty, detalhou, nesta sexta-feira, 28, o programa que será cumprido na capital uruguaia. Ele também reconheceu que as relações bilaterais e regionais deverão ser fortalecidas e lembrou da visita recente realizada a Brasília pelo futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Talvi.

Pedro Miguel lembrou ainda que Jair Bolsonaro foi o primeiro líder estrangeiro a parabenizar Lacalle Pou por sua vitória, em novembro. A disputa foi decidida em segundo turno com o ex-prefeito de Montevidéu, Daniel Martínez e pôs fim a 15 anos de governos de esquerda no Uruguai.

No entanto, o diplomata fez questão de recordar que no último ano, o atual governo uruguaio contribuiu muito nas negociações internas e extrarregionais do MERCOSUL. O Uruguai sempre apoio, por exemplo, a assinatura de acordos de livre comércio com a União Europeia e a EFTA, concluídos justamente em 2019.

Política regional

O Brasil também acredita numa mudança de postura do Uruguai com relação à Venezuela. O atual presidente, Tabaré Vázquez, não reconhece Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela e não integra o Grupo de Lima, criado para pressionar por mudanças naquele país.

A expectativa é que Lacalle Pou passe a reconhecer Guaidó e integrar o Grupo de Lima. Outro tema a ser tratado futuramente diz respeito à Bolívia. Enquanto a Frente Ampla, derrotada no ano passado, considera que houve um golpe contra Evo Morales, a direita fala em reconhecimento da presidente interina Jeanine Áñez.

O Uruguai também terá um papel importante na eleição, dia 20 de março, do Secretário-Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA). O atual, Luis Almagro, é uruguaio e foi ministro de Relações Exteriores no governo de José Mújica. No entanto, ele tem sido um dos principais críticos dos governos de esquerda da região.

“Temos indicações, por declarações que foram dadas, que haverá uma mudança de posição [do Uruguai] em relação à Venezuela e à Bolívia. Temos o entendimento de que essas mudanças nos deixam em um caminho mais próximo, que facilitará a coordenação de posições”, afirmou Pedro Miguel.

Brasil e Uruguai pretendem intensificar o trabalho de cooperação, especialmente na zona de fronteira onde residem cerca de 800 mil pessoas. Há vários projetos de infraestrutura, como pontes e hidrovias, que deverão ter suas obras retomadas. Além disso, há acordos que devem ser firmados em breve em áreas como energia e defesa.

Perfil

Luis Lacalle Pou, tem 46 anos e é advogado, embora nunca tenha exercido a profissão. Desde os 24 anos se dedica à política tendo sido deputado e senador. Ele é filho do ex-presidente do Uruguai Luis Alberto Lacalle, que governou de 1990 a 1995 e da ex-senadora Julia Pou. É também bisneto de Luis Alberto de Herrera, um dos políticos mais influentes da história do Partido Nacional.

Em 2024, Lacalleu Pou concorreu à presidência pela primeira vez e perdeu, em segundo turno, para Tabaré Vázquez, da Frente Ampla. Desta vez, com 100% das urnas apuradas Lacalle Pou foi eleito presidente do Uruguai com 1.168.019 votos, enquanto o adversário, Daniel Martínez, obteve 1.139.353, apenas 1,2 pontos percentuais à frente do concorrente.