Relações Exteriores

Lava Jato
06/08/2015
América Latina
06/08/2015

Ágata 9

Brasil investiga se houve violação da soberania paraguaia

Brasília – O embaixador do Brasil em Assunção, José Eduardo Felício, reuniu-se nesta quarta-feira, 5, com o ministro de Relações Exteriores do Paraguai, Eladio Loizaga, para entregar uma nota diplomática onde o Itamaraty afirma que está investigando se houve ou não violação da soberania paraguaia com o ingresso de militares brasileiros naquele território em Salto del Guairá. Eles teriam trocado tiros com contrabandistas paraguaios, o que gerou uma nota de protesto por parte de Assunção.

De acordo com a chancelaria paraguaia, na nota, o Brasil informa que a Marinha está averiguando já que teriam sido militares da Força os envolvidos no episódio. Por outro lado, o Brasil reafirma que pretende intensificar a cooperação com o Paraguai no combate ao crime organizado transfronteiriço.

Antes, Loizaga se reuniu com o ministro da Defesa, Bernardino Soto Estigarribia e membros da Comissão de Relações Exteriores da Câmara de Deputados do Paraguai, que cobram explicações das autoridades do país a respeito do ocorrido por ocasião da Operação Ágata 9.

Eladio Loizaga explicou que na semana passada, convocou o embaixador do Brasil no Paraguai para expressar a posição do seu governo ante o que chamou de “flagrante violação fluvial do Paraguai”. Aos parlamentares, garantiu que o governo está cobrando as devidas explicações do Brasil.

“Lamentamos e eles (Brasil) concordam, que isto tenha ocorrido num momento em que o relacionamento paraguaio-brasileiro é muito bom. Temos projetos excelentes, projetos de cooperação, inclusive entre as respectivas Forças Armadas, de forma permanente e proveitosa”, assinalou Loizaga.

O chanceler explicou ainda que a nota de protesto entregue ao embaixador brasileiro e encaminhada ao Itamaraty, foi elaborada após consultas com o comandante da Marinha paraguaia e o ministro da Defesa daquele país. Ele espera que o Brasil considere as informações oferecidas pelas autoridades militares paraguaias na condução das investigações em Brasília.

O ministro da Defesa, Bernardino Estigarribia afirmou que “o ingresso se produziu em águas territoriais paraguaias, por isso pode-se afirmar que houve uma transgressão às normas internacionais e uma violação da soberania nacional”.

José Eduardo Felício destacou que o Brasil segue buscando informações a respeito e que o país pretende ver o assunto resolvido o mais rapidamente possível. “Demos todas as garantias de que vamos continuar com a nossa cooperação, sobretudo, no combate aos crimes transnacionais na fronteira, o combate ao narcotráfico e ao contrabando. Isso é o que nos interessa e vamos seguir trabalhando nesta direção”, afirmou Felício.

Cooperação

Brasil e Paraguai acabam de concluir mais uma etapa da cooperação em Defesa com os exercícios conjuntos realizados pelo Pelotão Químico, Biológico, Radiológico e Nuclear (QBRN), do Exército, com membros da Comissão Nacional de Prevenção e Respostas a Emergências Biológicas (CONAPREB) e o Comando de Operações de Segurança do Regimento Escolta Presidencial, durante a visita àquele país do Papa Francisco, em julho.

Os exercícios têm como objetivo, fortalecer a cooperação entre as forças paraguaias e brasileiras para dar respostas efetivas e oportunas em operações de prevenção e respostas ante ameaças provocadas por agentes QBRN em eventos de grande visibilidade.

O pelotão brasileiro composto por 30 técnicos militares, aterrissou no Paraguai com sete toneladas de equipamentos para operações químicas, biológicas, radiológicas e nucleares. No Centro de Treinamento Conjunto de Operações de Paz (CECOPAZ), houve uma demonstração sobre tais ameaças. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *