Brasília, 15 de novembro de 2018 - 05h24
Brasil não espera acordo ambicioso entre MERCOSUL – UE

Brasil não espera acordo ambicioso entre MERCOSUL – UE

03 de julho de 2018
por: InfoRel
Compartilhar notícia:
Brasília – O governo brasileiro não espera um acordo de livre comércio ambicioso a ser firmado pelo MERCOSUL com a União Europeia. As equipes técnicas dos dois blocos voltam a reunir-se entre 8 e 13 de julho em Bruxelas. De acordo com o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, as negociações conduzem a um entendimento semelhante àqueles que os europeus firmaram com Canadá, México e Japão.

Segundo ele, “a União Europeia é um bicho estranho. São muitos países. Há uma comissão que negocia conosco e que diz falar em nome de todos, mas termina falando em nome de cada um”. Por outro lado, garantiu que entre os países do MERCOSUL o consenso está fechado.

No dia 18 de junho, o Uruguai assumiu a presidência do MERCOSUL “com o compromisso de não assinar um acordo com a União Europeia a qualquer preço nem perder tempo com negociações eternas”, explicou o presidente do país, Tabaré Vázquez. Ainda de acordo com o líder uruguaio, o MERCOSUL “não está disposto a assinar um acordinho com a UE”.

Na reunião de junho em Assunção, os presidentes da Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, reconheceram que há outras alternativas à UE como China, Rússia, Japão, a Associação Europeia de Livre Comércio (EFTA) e a Aliança do Pacífico integrada por Chile, Colômbia, Peru e México.

Aloysio Nunes Ferreira reconheceu que as negociações entre o MERCOSUL e a UE ganharam impulso com as políticas protecionistas adotadas pelos Estados Unidos, mas que o bloco não descarta avançar em outros diálogos. Já o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, entende que os dois blocos devem aproveitar a janela de oportunidades que estará aberta até agosto. Após, tanto os países europeus como o Brasil irão dedicar-se a eleições.

EFTA

Na segunda-feira, 2, teve início em Genebra, a quarta rodada de negociações entre o MERCOSUL e a Associação Europeia de Livre-comércio (EFTA). As conversas seguem até sexta-feira, 6.

Em junho de 2017, os quatro países que formam a EFTA (Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça) iniciaram a primeira rodada de negociações para alcançar um acordo de livre comércio entre os dois blocos.

MERCOSUL e EFTA têm tratado temas de denominação de origem até barreiras ao comércio, problemas de saúde e fitossanitários, investimentos e propriedade intelectual, entre outros. A EFTA mantém acordos de livre comércio com Costa Rica, Panamá, Guatemala, México, Chile, Colômbia, Equador e Peru.

Aliança do Pacífico

Considerada prioritária para o MERCOSUL, a negociação com a Aliança do Pacífico poderá ganhar fôlego durante a sua 13ª Cúpula que será realizada em Puerto Vallarta, Jalisco, México, nos dias 23 e 24 de julho. O encontro reunirá ministros de Relações Exteriores, Comércio e Economia, e os Chefes de Estado dos dois blocos.

Também haverá discussões que envolverão os países observadores da Aliança do Pacífico e organismos internacionais, além de um encontro empresarial.

No domingo, 24, será realizado o encontro entre os presidentes, seguido por uma reunião do Conselho de Ministros. A Cúpula será encerrada com a assinatura de uma Declaração Final. Paralelamente, serão realizados o 5º Encontro Empresarial, uma reunião interparlamentar e uma reunião específica da Comissão de Livre Comércio.

Paraguai

Após uma rápida passagem por Brasília, o presidente eleito do Paraguai, Mário Abdo Benítez reuniu-se em Montevideo com o líder uruguaio Tabaré Vázquez. O encontro serviu para dar força ao projeto do Uruguai de estimular negociações comerciais entre o MERCOSUL e a China. O Paraguai não mantém relações diplomáticas com Pequim, preferindo o relacionamento com Taiwán.

Nesta terça-feira, Benítez estará em Santiago onde se reunirá com o presidente chileno Sebastián Piñera. Nestas reuniões, o presidente eleito do Paraguai é acompanhado pelo vice-presidente Hugo Velázquez, e o futuro chanceler, Luis Alberto Castiglioni.

Assuntos estratégicos

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...
Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Brasília – Os primeiros anúncios feitos pelo presidente da República...
CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

Brasília – A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional...
Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Os chanceleres de Espanha, Josep Borrell, e do Brasil, Aloysio Nunes, mantiveram encontro de...
Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Em 25 de setembro de 2018, Sua Excelência a Senhora Sushma Swaraj, Ministra das...
Comunicado Conjunto do BRICS

Comunicado Conjunto do BRICS

Os Ministros das Relações Exteriores/Relações Internacionais do BRICS...