Brasília, 18 de fevereiro de 2019 - 12h39
Brasil não terá Mais Médicos com Bolsonaro e Cuba abandona acordo

Brasil não terá Mais Médicos com Bolsonaro e Cuba abandona acordo

14 de novembro de 2018
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília – O presidente eleito, Jair Bolsonaro, condicionou a continuidade do Programa Mais Médicos, firmado em 2013 pelo Brasil com Cuba, à mudanças que Havana, segundo ele, não teria aceitado. Bolsonaro quer que os médicos cubanos se submetam a um teste de capacidade, recebam o salário integralmente e possam trazer suas famílias para o Brasil. O governo cubano anunciou que está deixando o programa.

Em nota, o ministério da Saúde Pública de Cuba informou que deixará o Mais Médicos com o Brasil. O anúncio foi feito junto à Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), responsável pelo contrato celebrado entre os dois países. Além disso, políticos brasileiros que atuaram para a celebração do programa, também foram informados.

Jair Bolsonaro afirmou, ao anunciar o nome do diplomata Ernesto Fraga Araújo como futuro chanceler, que a decisão de abandonar o acordo foi unilateral e partiu de Cuba. Atualmente, o Mais Médicos conta com 16 mil profissionais, dos quais 8,47 mil são cubanos.

Como deputado federal e na condição de candidato, Jair Bolsonaro nunca escondeu sua ojeriza pelo que sempre denominou “ditadura cubana”. Ele também acreditava que o governo daquele país usava o programa para ingressar espiões vinculados ao governo Dilma (PT) em território brasileiro.