Brasília, 13 de novembro de 2018 - 01h42
Brasil prioriza acordo bilateral de comércio com o México

Brasil prioriza acordo bilateral de comércio com o México

10 de julho de 2018
por: InfoRel
Compartilhar notícia:
Brasília – O Brasil prioriza o aprofundamento de um acordo bilateral de comércio com o México, mas com respeito às regras do MERCOSUL. Os dois países respondem por 65% do Produto Interno Bruto da região, no entanto, o comércio bilateral de cerca de US$ 7 bilhões, encontra-se muito abaixo do potencial estimado pelos dois países.

No dia 1º, os mexicanos elegeram presidente o ex-prefeito da capital, o esquerdista Andrés Manuel López Obrador, que disputou sua terceira eleição presidencial. No mesmo dia, o Itamaraty, emitiu nota manifestando o desejo brasileiro em que as relações bilaterais sejam melhoradas.

“Ao formular votos de pleno êxito ao senhor Andrés Manuel López Obrador no desempenho do mandato presidencial que o povo mexicano lhe outorgou, o governo brasileiro manifesta sua expectativa de trabalhar com as novas autoridades mexicanas em prol do fortalecimento e da ampliação das relações bilaterais e de nossa cooperação nos planos regional e internacional”, diz o texto.

O Brasil é o principal parceiro comercial do México na América Latina, e o México o terceiro mercado para os produtos brasileiros na região, atrás de Argentina e Chile.

De acordo com o ministério das Relações Exteriores, as negociações bilaterais em curso buscam a liberalização da maior parte do comércio. Em 2002, os dois países assinaram o Acordo de Complementação Econômica nº 54, um tratado que ampara os instrumentos concluídos entre os estados partes do MERCOSUL e o México.

Brasil e México também seguem negociando o ACE-53 com o objetivo de ampliar a cobertura tarifária que hoje é de apenas 13%. Já foram realizadas oito rodadas de negociações com a troca de listas de pedidos e respostas de desgravação tarifária.

O México, no entanto, resiste à uma maior abertura na área agrícola e em itens industriais. A última reunião entre os dois países deu-se em novembro passado. A intensificação do processo negociador do NAFTA, prioridade número 1 para os mexicanos, tem dificultado os avanços com o Brasil.

Além disso, o México também prioriza suas atenções para o Acordo Abrangente e Progressivo da Parceria Transpacífica (TPP), sem os Estados Unidos, e o seu acordo de livre comércio com a União Europeia.

Venezuela

López Obrador assume o cargo no dia 1º de dezembro e a sua posse pode significar a saída do México do Grupo de Lima, integrado por 14 países latino-americanos, criado para pressionar a Venezuela a respeitar os preceitos democráticos previstos da Carta da OEA. O grupo não reconhece a reeleição de Nicolás Maduro, no dia 20 de maio. O Grupo de Lima também cobra a realização de eleições para pôr fim à crise política na Nicarágua.

De acordo com Marcelo Ebrard, designado futuro chanceler mexicano, o país não intervirá em assuntos internos desses dois países. Ebrard disse ainda que o tratamento recebido pelo México por parte dos Estados Unidos tem sido terrível.

Na sexta, 13, ele recebe o Secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, para tratar temas da agenda bilateral e regional. Os Estados Unidos trabalham para que os países latino-americanos aumentem as pressões sobre os governos da Venezuela e da Nicarágua.

Assuntos estratégicos

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...
Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Brasília – Os primeiros anúncios feitos pelo presidente da República...
CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

Brasília – A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional...
Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Os chanceleres de Espanha, Josep Borrell, e do Brasil, Aloysio Nunes, mantiveram encontro de...
Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Em 25 de setembro de 2018, Sua Excelência a Senhora Sushma Swaraj, Ministra das...
Comunicado Conjunto do BRICS

Comunicado Conjunto do BRICS

Os Ministros das Relações Exteriores/Relações Internacionais do BRICS...