Brasília, 20 de outubro de 2019 - 01h50
Brasil quer uma Parceria Estratégica com a Espanha em infraestrutura

Brasil quer uma Parceria Estratégica com a Espanha em infraestrutura

03 de outubro de 2019 - 10:39:28
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília - O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, encerrou nesta quarta-feira, 2, em Madri (Espanha), uma série de encontros com representantes de grandes grupos empresariais que operam portos, aeroportos, ferrovias e rodovias no mundo todo. Freitas também se reuniu com o ministro de Fomento da Espanha, José Luis Ábalos, para apresentar o programa de concessões do governo federal. “Saímos daqui com uma confiança muito grande de que o programa realmente está no rumo certo e que nós vamos poder contar com empresas espanholas nos próximos leilões de infraestrutura”, afirmou.

De acordo com o Ministério da Infraestrutura, o saldo da viagem, na avaliação do próprio ministro, é bastante positivo. “Tivemos, ao longo dessa semana, uma série de reuniões muito produtivas com importantes operadores de infraestrutura no cenário mundial, que estão aqui na Espanha e que ficaram bastante impressionados com o programa de concessões de infraestrutura do Governo Bolsonaro”, destacou.

A viagem para a Espanha, que teve agendas entre segunda, 30, e quarta-feira, 2, é parte de uma série de encontros no exterior mantida pelo ministro, desde junho. Tarcísio de Freitas já passou por Washington e Nova York, nos Estados Unidos. Em novembro, Oriente Médio e China entram no roteiro.

Meio ambiente

No Encontro Empresarial Espanha-Brasil, Tarcísio Gomes de Freitas   destacou a preocupação do governo com a sustentabilidade. “Há um cuidado nosso na estruturação dos projetos no que diz respeito à sustentabilidade. Temos diversos exemplos de harmonização da provisão de infraestrutura com a preservação ambiental”, afirmou Freitas aos investidores e executivos presentes no evento.

Em setembro, o Ministério da Infraestrutura fechou parceria com a Climate Bonds Initiative (CBI) para certificar com “selo verde” os ativos de infraestrutura que constam do programa de concessões. O selo da CBI permitirá a valorização dos ativos e o acesso a financiamento no mercado de green bonds (títulos verdes), que está em ascensão.

O encontro promovido pela Confederação Espanhola de Organizações Empresariais (CEOE) reuniu representantes da construção civil e de concessionárias de infraestrutura. O ministro aproveitou para refutar que as imagens de queimadas na Amazônia, divulgadas nos últimos meses, sejam sinal de descaso do Brasil com a sua floresta.

“Posso falar de Amazônia com a autoridade de quem foi oficial do Exército por 17 anos e morou na Amazônia por seis anos. Eu trabalhei em todas as regiões da Amazônia. Posso garantir que o Brasil tem muito cuidado com a Floresta Tropical, que é um grande ativo nosso, que ocupa boa parte do nosso território e tem se mantido preservada ao longo do tempo”, garantiu.

Parceria estratégica

Na tarde desta terça-feira, 1º, Freitas se reuniu com o ministro de Fomento da Espanha, José Luis Ábalos. No encontro, ele salientou a importância das empresas espanholas para a infraestrutura do Brasil, a exemplo das que estão se instalando no país para operar no setor aeroportuário e no mercado de aviação. “A Espanha é um parceiro estratégico neste novo momento do Brasil, que possui um programa de concessões robusto. Queremos que as empresas espanholas sigam prestando a nós sua competência e capacidade técnica”, disse o ministro.

Ele também participou do roadshow em Madri, uma série de encontros com investidores e grandes grupos que operam infraestrutura de transportes. O Brasil tem, atualmente, o maior programa do mundo de concessões de ativos de infraestrutura, com projeção de R$ 217 bilhões em investimentos nas próximas décadas.

Investimentos em infraestrutura

Nas reuniões mantidas na Espanha, Tarcísio Gomes de Freitas, passou uma mensagem de otimismo com o momento atual e futuro do Brasil. “Só para se ter uma ideia, tivemos o melhor primeiro semestre da nossa história em termos de emissão de debêntures incentivadas de infraestrutura”, destacou.

As debêntures incentivadas são títulos de dívida emitidos por empresas que exercem atividades no ramo da infraestrutura. São isentas de imposto de renda para incentivar mais pessoas a comprarem esse tipo de título, ampliando o dinheiro arrecadado pelas empresas para a execução de obras ou serviços de infraestrutura no país.

“O cenário para o Brasil é favorável. Temos visto aumento do fluxo capitais para o país. Várias medidas serão tomadas para incentivar ainda mais o mercado de capitais”, afirmou o ministro.

Freitas citou ainda o controle da inflação, a realização de reformas estruturais e a recuperação do emprego, com a criação de 590 mil novos postos desde o início do ano, como exemplos de retomada de solidez das bases da economia brasileira.