Brasília, 27 de março de 2019 - 00h31

América do Sul - Países Árabes

05 de abril de 2005 - 12:04:00
por: InfoRel
Compartilhar notícia:
Os Estados Unidos continuam pressionando o Brasil com o objetivo de participar da Cúpula América do Sul – Paà­ses àrabes, que será realizada em Brasà­lia, nos dias 10 e 11 de maio. O temor norte-americano é que o encontro, reunindo 34 chefes de Estado e de Governo, se torne palco contra a polà­tica externa dos Estados Unidos para o Oriente Médio, especialmente em relação a Israel.

Nesta segunda-feira, o chanceler Celso Amorim e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, estiveram com o Secretário-Geral da Liga dos Estados àrabes, embaixador Amre Moussa. Os dois garantiram que a Cúpula não será um ato contra os Estados Unidos ou Israel. O objetivo principal é aproximar as duas regiões e ampliar o comércio.

Moussa Amre revelou que a Liga àrabes quer investir na América do Sul, especialmente no Brasil. Na Câmara dos Deputados, Moussa esteve com o presidente da Liga àrabe-Brasileira, deputado Jamil Murad [PCdoB-SP], a quem afirmou que admira o sistema polà­tico brasileiro. Segundo ele, o paà­s tem uma democracia forte e um parlamento vibrante.

Segundo Jamil Murad, a Cúpula será um momento singular para a integração entre o Oriente Médio e a América do Sul. Ele espera que haja maior colaboração nos campos polà­tico, econômico, comercial e cultural. Ele lembrou que o Brasil tem uma população de mais de 10 milhões de descendentes de árabes.

Além dos acordos comerciais que devem ser firmados nos dois dias de encontro, os chefes de Estado e de Governo das duas regiões pretendem cobrar a aplicação de resoluções da ONU sobre terrorismo e armas de destruição em massa. Amorim preferiu não revelar se a declaração que será aprovada fará ou não menção a Israel.

Sobre a participação de outros paà­ses que não pertençam à s duas regiões, o Itamaraty é taxativo: não há qualquer possibilidade de participação, nem mesmo como observador.