Agenda

Cúpula das Américas
11/04/2015
Cúpula das Américas
11/04/2015

Cúpula das Américas

Brasil saúda aproximação entre Cuba e EUA, mas condena sanções contra a Venezuela

Marcelo Rech, especial da Cidade do Panamá

Em sua participação na VII Cúpula das Américas, a presidente Dilma Rousseff saudou a aproximação entre Cuba e os Estados Unidos, mas condenou as sanções aplicadas pelos Estados Unidos contra sete funcionários venezuelanos. Segundo ela, “celebramos, aqui e agora, a iniciativa corajosa dos presidentes Raúl Castro e Barack Obama de restabelecer relações entre Cuba e Estados Unidos, pondo fim a este último vestígio da Guerra Fria na região”.

Ela reconheceu ainda o papel desempenhado pelo Papa Francisco, pela contribuição para que essa aproximação se desse. “Com o aplauso de todos os líderes presentes neste encontro, os dois presidentes deram uma primeira prova do quanto se pode avançar quando aceitamos os ensinamentos da História, deixando de lado preconceitos e nocivos antagonismos, que tanto afetaram nossas sociedades”.

Para Dilma Rousseff, o próximo passo é pôr fim ao “anacrônico embargo – que, há mais de cinco décadas, vitima o povo cubano e enfraquece o sistema interamericano”.

Em relação à Venezuela, a presidente foi taxativa: “o bom momento das relações hemisféricas já não admite medidas unilaterais e políticas de isolamento, em geral contraproducentes e ineficazes. Por isso, rechaçamos a adoção de sanções contra a Venezuela”, afirmou.

Na sua avaliação, o atual quadro nesse país requer moderação e aproximação de posições de todas as partes. Segundo ela, “é com esse propósito que a UNASUL trabalha para acompanhar e apoiar o diálogo político entre o governo e a oposição na Venezuela, buscando contribuir para o pleno respeito, por todos, ao Estado democrático de Direito e à Constituição do país”.

Após defender a libertação dos presos políticos naquele país em uma entrevista concedida no Brasil, esperava-se que a presidente reafirmasse a posição durante sua participação na sessão de trabalhos, mas ela não fez qualquer referência ao tema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *