Brasília, 13 de dezembro de 2018 - 14h58

Irã

18 de maio de 2010
por: InfoRel
Compartilhar notícia:

O Brasil se retirou da sessão do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), que nesta terça-feira, discutia um esboço das sanções que os Estados Unidos pretendem impor ao Irã.



De acordo com o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, o Brasil não aceita discutir sanções quando há um acordo que ainda deve ser implementado.



“A presença dos inspetores da Agência Atômica no Irã é a maior garantia de que não há desvios de urânio para fins militares, e em momento algum os iranianos questionaram essa presença”, afirmou Amorim.



Ele explicou que o texto assinado pelo presidente Mahmoud Ahmadinejad contempla todas as reivindicações feitas pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e pelo chamado grupo 5 + 1, integrado por Estados Unidos, Rússia, China, Grã-Bretanha e França, mais a Alemanha.



“É a primeira vez que o Irã aceita por escrito uma proposta de enviar urânio levemente enriquecido para o exterior e receber depois o elemento combustível. Também aceitou formalizar esse compromisso pelos canais oficiais, como exigia a comunidade internacional”, destacou o ministro.



O chanceler revelou ainda que pretende enviar uma carta para todos os membros do Conselho de Segurança detalhando o acordo firmado com o Irã e avalizado pela Turquia.



Na sua opinião, “ignorar o acordo é desprezar uma solução pacífica”.



Para o chanceler, o enriquecimento do urânio a 20% pelo Irã não consta do acordo porque é um tema a ser tratado nas negociações futuras.



Além disso, explicou que o país não tem mais que 5 Kg de urânio enriquecido a 20%.



 



 



 



 



Análise da Notícia



Marcelo Rech



Após o anúncio de que um acordo com o Irã havia sido alcançado, os Estados Unidos se apressaram em dizer que se tratava de algo vago.



O que se conseguiu em Teerã é exatamente o que se tentava através da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).



Novos atores se meteram na briga e lograram convencer um país que não tem razão alguma para confiar num grupo liderado pela maior potência bélica mundial.



O Irã aceitou com o Brasil e a Turquia o que não aceitava com as ditas potências mundiais.



Menos de 24h depois sem qualquer justificativa ou fato novo, os Estados Unidos adentram o Conselho de Segurança da ONU com um conjunto de sanções a serem aprovadas e impostas àquele país.



O gesto deixa claro que os esforços do Brasil e de outros países por uma saída negociada pouco importava.



Barack Obama, o prêmio Nobel da paz, parece mesmo disposto a fazer do Irã um novo Iraque.



Não sei que o aconselha, mas a única coisa que os Estados Unidos conseguem com atitudes como esta é a antipatia do resto do mundo.



Além de ser um tremendo tiro no pé: se não confiam mesmo em Ahmadinejad que dêem tempo para ele se revelar. Em 30 dias, como diz o ministro Celso Amorim, o Irã não vai construir uma bomba.



 

Assuntos estratégicos

Senado paraguaio posterga para 2019 análise de leis contra o crime organizado

Senado paraguaio posterga para 2019 análise de leis contra o crime organizado

O Senado do Paraguai postergou para março de 2019 a análise de três projetos de...
Paraná inaugura Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública

Paraná inaugura Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública

Na última terça-feira, 4, a governadora do Paraná, Cida Borghetti, e o ministro...
Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasília – O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, defendeu nesta...
Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Brasília - O governo do Paraguai intensificou o combate das ramificações das...
Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Brasília - O Brasil vai instalar três radares aéreos para o controle de voos de...
Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Brasília - O governo brasileiro encaminhou ao Congresso Nacional a Medida Provisória...
ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

Brasília – O Diretor-Geral da Agência Brasileira de Inteligência,...
Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...