Brasil apoia negociações de paz na Colômbia
06/11/2012
Defesa
06/11/2012

Brasil sediará Cúpula do Mercosul com a presença d

Brasil sediará Cúpula do Mercosul com a presença da Venezuela

Brasília – No dia 7 de dezembro, a presidente Dilma Rousseff comandará a Cúpula dos Chefes de Estado do Mercosul, em Brasília. Participarão os presidentes Hugo Chávez (Venezuela), José Pepe Mujica (Uruguai) e Cristina Kirchner (Argentina). O Paraguai, ainda suspenso do bloco, não participará.

De acordo com o governo brasileiro, com o ingresso da Venezuela, o Mercosul passou a contar com 270 milhões de habitantes, o equivalente a 70% da população da América do Sul, e a ter o Produto Interno Bruto (PIB) a preços correntes de US$ 3,3 trilhões.

A agenda do encontro prevê a conclusão dos procedimentos técnicos, como a nomenclatura, para que a Venezuela preencha todas as condições para manter o intercâmbio comercial no grupo.

Na semana passada, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, esteve em Caracas e se reuniu com o presidente Hugo Chávez e o chanceler e vice-presidente, Nicolás Maduro.

Chávez demonstrou entusiasmo com as previsões de crescimento econômico não só da Venezuela, mas também do Mercosul como um todo. Segundo ele, há indicações de que a taxa de crescimento na Venezuela deverá ficar acima de 5%.

O presidente venezuelano lembrou que a inflação em outubro foi menor do que a de setembro. Chávez afirmou ainda que o nível das dívidas interna e externa da Venezuela é um dos mais baixos entre os países do Mercosul.

A Venezuela é um dos principais parceiros comerciais do Brasil na América do Sul. Em 2011, o intercâmbio comercial registrou a cifra recorde de US$ 5,86 bilhões. Desde 2003, o comércio bilateral quintuplicou, sendo o Brasil o terceiro principal exportador para a Venezuela.

A adesão do país vizinho transformou a área total do Mercosul em um território de 12,7 milhões de quilômetros quadrados, o equivalente a 72% da área da América do Sul, estendendo-se da Patagônia ao Caribe e consolidando o bloco como potência energética global, informou o Itamaraty.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *