Defesa

Defesa
24/10/2012
Guerra
24/10/2012

Brasil vai ampliar cooperação em Defesa com a Namí

Brasil vai ampliar cooperação em Defesa com a Namíbia

Brasília – O Brasil que já coopera na formação da Marinha da Namíbia, vai estender para as forças Aérea e Terrestre a cooperação em Defesa com aquele país. Foi o que discutiram os ministros da Defesa dos dois países, Celso Amorim e Charles Dnp Namoloh, nesta terça-feira, 23, em Brasília.

Eles também destacaram a necessidade de treinamentos conjuntos na região do Atlântico Sul, em especial no tocante ao combate a grupos piratas.

Amorim disse ainda que a Namíbia poderá adquirir equipamentos da indústria nacional com linhas de crédito do BNDES e citou, como exemplo, os aviões Super Tucanos, considerados eficientes para o patrulhamento do espaço aéreo. “Esses aviões têm sido motivo de êxito em países africanos no policiamento de fronteiras e combate a grupos armados”, explicou.

Os dois países irão realizar reuniões periódicas dos chefes dos Estados-Maiores das Forças Armadas e Amorim defendeu o ingresso da Namíbia como país membro da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Segundo Amorim, “estamos de acordo para que a Namíbia participe não apenas como país observador, mas como membro pleno da CPLP”.

A visita oficial do ministro Charles Dnp Namoloh ocorre num contexto de maior aproximação entre o Brasil e seu país.

Celso Amorim lembrou que se encontra em curso o programa de treinamento com oficiais da Marinha da Namíbia. Segundo o ministro, ao longo dos últimos anos, 600 oficiais e praças frequentaram unidades de ensino da Marinha do Brasil.

Em outra frente, a Emgepron – empresa pública vinculada ao Ministério da Defesa, por intermédio do Comando da Marinha – enviou proposta de construção e fornecimento de meios navais para a Marinha da Namíbia. A proposta encontra-se em análise pelas autoridades namibianas. Existe também, conforme salientado, a sinalização entre as duas Armadas para a troca de informações no Atlântico Sul.

Celso Amorim solicitou ainda que a Marinha do Brasil promova exercícios com a participação conjunta dos namibianos. O ministro lembrou que a força naval brasileira irá receber, nos próximos meses, o navio patrulha Apa, fabricado por empresa no Reino Unido. E sugeriu que a embarcação participe de exercício naquela região, em seu deslocamento para o Brasil.

Ainda na reunião bilateral, Amorim e Namoloh trataram da participação brasileira na Antártica, das operações de paz, da reunião internacional da Zopacas (Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul) e da incorporação do navio de apoio logístico “Elephant”.

De fabricação chinesa, o navio foi oferecido para ser recebido pela Marinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *