Brasília, 18 de outubro de 2018 - 03h21

Política Internacional

09 de maio de 2011
por: InfoRel



O assessor internacional da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, afirmou nesta segunda-feira, 9, que o Brasil deverá reconhecer em breve o governo do presidente Porfírio Lobo, de Honduras.



Além disso, Garcia confirmou que a presidente Dilma Rousseff vai honrar o compromisso assumido pelo Brasil em pagar mais pela energia recomprada do Paraguai.



O acordo das Notas Reversais encontra-se em tramitação no Senado Federal e deverá ser apreciado nesta terça-feira, 10.



De acordo com Marco Aurélio Garcia, o governo avalia a decisão da Justiça hondurenha que anulou dois julgamentos contra o ex-presidente Manuel Zelaya. Para o Brasil, Zelaya deve ter as condenações arquivadas e o direito de retornar ao país sem ser preso.



Segundo Garcia, “o Brasil não interrompeu as relações com Honduras, apenas congelou, por uma questão de coerência. Quando forem preenchidas as exigências [feitas pela comunidade internacional] o retorno de Honduras à OEA [Organização dos Estados Americanos] será normal.”



Marco Aurélio Garcia afirmou ainda que o Brasil atua com cautela uma vez que são muitas as denúncias de violações contra os direitos humanos em Honduras.



O assunto será tratado nesta terça-feira em Brasília pelos presidentes Hugo Chávez e Dilma Rousseff. A Venezuela junto com a Colômbia tem negociado um acordo político para pôr fim à crise hondurenha.



Terrorismo



O Brasil não deverá se pronunciar a respeito das denúncias feitas pelos Estados Unidos de que o Paquistão ajudou Osama Bin Laden que permaneceu escondido no país durante cinco anos.



A afirmação é do assessor internacional da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia.



Segundo ele, o Brasil não pretende assumir o papel de “agência de certificação internacional” no que diz respeito ao terrorismo.



Reconhecendo a importância estratégica do Paquistão, país nuclear, Garcia deixou claro que o Brasil não vai opinar sobre a confiabilidade ou não do país e de suas autoridades.



Os Estados Unidos exigem que o governo paquistanês investigue quem, dentro do governo, apoiava e dava suporte a Osama Bin Laden.



Itaipu



No próximo dia 15, a presidente Dilma Rousseff estará em Assunção para as comemorações pelos 200 anos da Independência do Paraguai. E ela quer levar na bagagem a aprovação do acordo que permite ao Brasil triplicar o valor pago pela energia recomprada de Itaipu.



O assunto deverá ser discutido nesta terça-feira pelo Senado.



A expectativa do governo é que a aprovação seja concluída e a presidente possa confirmar sua agenda no Paraguai.



Marco Aurélio Garcia explicou nesta segunda-feira que a presidente vai honrar os compromissos assumidos pelo antecessor Luiz Inácio Lula da Silva.



Dilma também deverá reunir-se com colegas da América do Sul e do Caribe que estarão presentes aos eventos.



No dia 23, a presidente estará em Montevidéu onde fecha um ciclo de viagens consideradas prioritárias pela América do Sul.

Assuntos estratégicos

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Os chanceleres de Espanha, Josep Borrell, e do Brasil, Aloysio Nunes, mantiveram encontro de...
Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Em 25 de setembro de 2018, Sua Excelência a Senhora Sushma Swaraj, Ministra das...
Comunicado Conjunto do BRICS

Comunicado Conjunto do BRICS

Os Ministros das Relações Exteriores/Relações Internacionais do BRICS...