Defesa

Cooperação
25/04/2015
Orçamento
25/04/2015

ESUDE

Brasileiro será o Secretário-Geral da Escola Sul-Americana de Defesa da UNASUL

Brasília – O assessor especial do ministro da Defesa, diretor do Instituto Pandiá Calógeras (IPC) e professor de Relações Internacionais Antonio Jorge Ramalho da Rocha, será o primeiro Secretário-Geral da Escola Sul-Americana de Defesa (ESUDE) da União das Nações Sul-Americanas (UNASUL). A Secretaria-Geral do órgão foi instalada no dia 17, em cerimônia na sede do bloco em Quito, Equador.

Antonio Jorge Ramalho foi eleito por consenso na noite do dia 16, pelos vice-ministros da Defesa dos 12 países que compõem a UNASUL. O Brasil foi representado na eleição e na posse pelo chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), general José Carlos De Nardi.

A Argentina pretendia apresentar um candidato ao cargo, mas o ministro Jaques Wagner, em visita a Buenos Aires, conseguiu arrancar o apoio portenho ao brasileiro. Pesou ainda o fato de o diretor do Centro de Estudos Estratégicos de Defesa (CEEDCDS), do Conselho de Defesa Sul-Americano, ser o argentino Alfredo Forti, ex-vice-ministro da Defesa daquele país e o órgão ter como sede a capital argentina.

“Todos conhecemos a competência acadêmica e o engajamento do professor Ramalho nos assuntos de defesa na América do Sul. Não tenho dúvidas de que se trata da pessoa mais qualificada para coordenar os trabalhos que resultarão num pensamento de defesa integrado em todo o continente. É uma alegria grande ter o diretor do Instituto Pandiá Calógeras da Defesa num cargo de tamanha relevância”, afirmou o ministro Jaques Wagner.

Conforme havia antecipado o InfoRel, a instalação da ESUDE foi um dos principais atos em celebração ao oitavo aniversário de criação da UNASUL.

Articulação e cooperação

Ao encarar o maior desafio de sua carreira acadêmica, o professor Antonio Jorge Ramalho explicou que a articulação de uma rede de institutos nacionais de Defesa será fundamental para o sucesso da ESUDE. “Vamos aproveitar as estruturas, os conteúdos e instrutores das instituições nacionais de formação, criando uma grande rede de coordenação que nos permita criar uma visão comum de Defesa em toda a América do Sul”, explicou.

Ele revelou ainda que a ESUDE terá sua Secretaria-Geral sediada em Quito, mas os cursos serão oferecidos por todo o continente. Brasil, Argentina e Peru já estão oferecendo qualificações nos moldes acadêmicos da escola. “Nosso objetivo é fomentar a circulação de ideias e pesquisas, criando oportunidades tanto para oficiais militares como civis se qualificarem sobre o tema da defesa”, disse.

A representante do Brasil na rede de instituições vinculadas à ESUDE é a Escola Superior de Guerra (ESG), com seus campi em Brasília e no Rio de Janeiro. De acordo com o professor Ramalho, o Curso Avançado de Defesa Sul-Americano (CAD-Sul) oferecido pela ESG em 2014 funcionou como um projeto “piloto” do tipo de qualificação que se pretende empreender no âmbito da América do Sul.

De acordo com o MD, o CAD-Sul é desenvolvido ao longo de 10 semanas, com carga-horária total de 330 horas-aula. Os alunos vindos de toda a América do Sul estudam disciplinas como a caracterização dos países da UNASUL; organismos internacionais; e geopolítica e geoestratégia.

O novo Secretário-Geral da ESUDE explicou ainda que a formação continuada de especialistas civis e militares em defesa, por meio da oferta de cursos de extensão e especialização, é o foco principal da escola neste primeiro momento. No entanto, a ESUDE pretende avançar no fomento às pesquisas acadêmicas no futuro com a oferta de cursos em nível strictu-sensu.

Aos 48 anos, o professor Ramalho se graduou em Relações Internacionais pela UnB (1989) e tem mestrado em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj) e em Relações Internacionais pela Maxwell School of Citinzenship and Public Affairs da Universidade de Syracuse (EUA). Também é doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP). Sua pesquisa e produção científica concentram-se nas áreas de Teoria das Relações Internacionais, Segurança Internacional, Defesa Nacional e Política Externa dos Estados Unidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *