Brasília, 29 de setembro de 2020 - 05h37
Cai o comércio entre Brasil e África do Sul mesmo com acordo

Cai o comércio entre Brasil e África do Sul mesmo com acordo

16 de setembro de 2020 - 16:29:38
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília – Há quatro anos, o MERCOSUL firmou um acordo de preferências comerciais com a União Aduaneira da África Austral (Sacu), mas as expectativas, especialmente do Brasil, de que o comércio bilateral iria crescer, não se confirmaram. Na prática, nesses quatro anos, o comércio caiu de US$ 200 milhões para US$ 100 milhões.

Para piorar, 90% das vendas da indústria brasileira para a África do Sul não estão contemplados pelo tratado. Além disso, quando se considera o total de produtos abrangidos pelo acordo, 51% deles simplesmente não são vendidos pela indústria brasileira para a África do Sul.

Por essa razão, a Confederação Nacional da Indústria (CNI), incluiu a ampliação do acordo entre o MERCOSUL e SACU como uma das prioridades da Agenda Internacional da Indústria 2020. A entidade explica, ainda, que no caso da importação, os valores mantiveram-se estáveis no período analisado. A parcela de compras realizadas dentro do tratado permaneceu em US$ 100 milhões por ano desde 2016. Também na importação, 85% do valor dos bens comprados da África do Sul está fora do acordo. Ao todo, 74% dos produtos do acordo simplesmente não são importados pelo Brasil da África do Sul.

Um dos caminhos para alavancar o comércio seria a negociação de um acordo de livre comércio entre os dois blocos, ideia defendida pela CNI. Da parte do MERCOSUL, o acordo abrange 1.052 produtos e, da SACU, 1.064. No entanto, no caso das exportações do Brasil para a África do Sul, só 470 desses produtos têm tarifa de importação zerada. No caso dos demais, eles possuem margem de preferência nas exportações, que é um desconto na tarifa que varia de 10% a 50%.