Brasília, 23 de outubro de 2018 - 05h43

CCJ aprova ingresso da Venezuela ao Mercosul

22 de novembro de 2007
por: InfoRel
De nada adiantou a oposição espernear, abusar dos adjetivos e fechar questão contra o ingresso da Venezuela ao Mercosul. Após cinco horas de debates, a Comissão de Constitutição e Justiça da Câmara aprovou por 44 votos a 17, o parecer do deputado Paulo Maluf (PP-SP), pela constitucionalidade do protocolo.

O texto agora segue para o Plenário e se for aprovado vai ao Senado. O governo quer que o texto esteja aprovado até 22 de dezembro quando o Congresso entra em recesso.

Antes da votação desta quarta-feira, DEM, PSDB e PPS fecharam questão contra o ingresso do paà­s ao Mercosul. Os deputados de oposição acusaram o presidente Hugo Chávez de ditador, autoritário e que deseja mesmo o fim do bloco.

Desta vez, o governo se mobilizou e manteve a base no Plenário da comissão até a conclusão dos trabalhos. Em meio ao debate ideológico, o là­der do governo José Múcio Monteiro (PTB-PE) teve de negociar com o PMDB os votos do partido pela aprovação do tratado. O partido ameaçou pedir vistas e atrasar a votação do texto se os cargos prometidos na Petrobras não fossem confirmados.

Cúpula Ibero-americana

Durante os debates na CCJ, deputados de oposição elogiaram o Rei da Espanha, Juan Carlos, pela bronca que deu em Chávez na Cúpula Ibero-americana de Santiago do Chile. Nesta quinta-feira, a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional , do Senado, aprovou, voto de aplauso ao rei.

Juan Carlos mandou Hugo Chávez se calar quando ele acusava o ex-primeiro-ministro espanhol José Maria Aznar de fascista. O atual presidente do governo espanhol, José Luiiz Rodriguez Zapatero, pediu respeito ao adversário. Como Chávez manteve as crà­ticas, o rei tomou as dores de Aznar e o mandou calar a boca.

O senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), autor da proposta para o voto de aplauso, afirmou que a admoestação foi apropriada, diante das reiteradas interrupções de Chávez ao discurso do primeiro-ministro Zapatero.

Segundo o senador, esse procedimento vem sendo repetido pelo presidente venezuelano em reuniões de cúpulas multilaterais, causando constrangimento aos presentes.

O là­der da Minoria na Câmara dos Deputados, Zenaldo Coutinho (PSDB-PA), enviou ofà­cios em solidariedade ao Rei da Espanha, Juan Carlos, ao ex-primeiro-ministro, José Maria Aznar, e ao atual ocupante do cargo, José Luiz Rodrigues Zapatero, informou nesta quinta-feira a assessoria da Minoria.

O deputado apoiou a atitude do Rei ao dizer que "a voz do ilustre monarca levantou-se no momento certo e repercutiu em todo o nosso continente, num nà­tido sinal de apoio contra os ideais ditatoriais e anti-democráticos externados, com freqüência, pelo Senhor Hugo Chávez".

Segundo ele, "nós, brasileiros, a exemplo do que fez Vossa Majestade, não aceitamos os rumos tomados pela Venezuela, sob o comando do Sr. Hugo Chávez, que vem tentando descaracterizar a tradição pacà­fica da América do Sul, com atos que agridem a democracia", escreveu o deputado.

Assuntos estratégicos

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Os chanceleres de Espanha, Josep Borrell, e do Brasil, Aloysio Nunes, mantiveram encontro de...
Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Em 25 de setembro de 2018, Sua Excelência a Senhora Sushma Swaraj, Ministra das...
Comunicado Conjunto do BRICS

Comunicado Conjunto do BRICS

Os Ministros das Relações Exteriores/Relações Internacionais do BRICS...