Relações Exteriores

Agenda da Cúpula de Ministros da Defesa em discuss
20/07/2010
Solidariedade na Diversidade no espaço da CPLP
21/07/2010

Chanceler paraguaio discute Itaipu em Brasília

Chanceler paraguaio discute Itaipu em Brasília

Nesta quarta-feira, 21, o ministro das Relações Exteriores do Paraguai, Héctor Lacognata, realizará visita de trabalho a Brasília, no contexto da preparação do próximo encontro entre os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Lugo, previsto para 30 de julho, em Assunção.

 

Os Chanceleres de Brasil e Paraguai deverão tratar, em especial, dos temas da agenda bilateral, tais como o diálogo sobre Itaipu, a cooperação na área social, os projetos conjuntos de infraestrutura e o processo de regularização migratória de nacionais dos dois países.

 

Também integra a pauta, a agenda da Cúpula do Mercosul que será realizada em 3 de agosto, na Argentina, quando o Brasil assumirá a presidência do bloco.

 

Cooperação

 

O Itamaraty informou que os dois países assinaram, nos últimos três anos, instrumentos de cooperação nas áreas de saúde, agronegócio, biocombustíveis, agricultura familiar, serviços postais, formação profissional, desenvolvimento rural, patrimônio cultural, museologia, diversidade cultural, educação indígena, estudos demográficos, entre outras.

 

A partir de 2007, o Paraguai passou a figurar entre os países com os quais o Brasil mantém o maior número de iniciativas de cooperação técnica bilateral.

 

Atualmente, são 13 os projetos em execução, com recursos da ordem de US$ 1,5 milhão/ano.

 

Na saúde, destaque para o projeto de cooperação para implantação do primeiro banco de leite humano no Paraguai, o que deve ocorrer proximamente.

 

Na área postal, o Brasil oferece cooperação técnica voltada para a completa reestruturação do setor no país vizinho, inclusive com o estabelecimento do Serviço Postal Universal.

 

Na área de formação profissional, destaca-se o Centro do SENAI localizado em Hernandarias, concebido como iniciativa bilateral de cooperação técnica voltada para o aperfeiçoamento do mercado laboral paraguaio.

 

“O empreendimento tem contribuído, desde 2002, para o esforço de recuperação socioeconômica da região de Ciudad del Este, por meio da formação e reconversão profissional de mão-de-obra qualificada orientada ao emprego imediato. O Centro de Hernandarias já ministrou 660 cursos, com a formação de mais de 10 mil profissionais, nas áreas de eletroeletrônica, metal-mecânica, construção civil, informática, mecânica diesel e costura industrial”, destacou o ministério das Relações Exteriores.

 

Comércio

 

De acordo com o Itamaraty, o Brasil é o principal sócio comercial do Paraguai.

 

No primeiro semestre de 2010, o intercâmbio alcançou valor próximo a US$ 1,5 bilhão, com aumento de 62% em relação ao mesmo período de 2009.

 

As exportações brasileiras já somam quase US$ 1,2 bilhão em 2010.

 

Em 2008, a corrente bilateral de comércio atingiu US$ 3,145 bilhões, uma expansão de 51% sobre 2007 (US$ 2,082 bilhões).

 

Neste mesmo ano, as vendas paraguaias ao Brasil aumentaram 51,5% em relação a 2007. O déficit comercial com o Brasil também se expandiu, chegando a US$ 1,8 bilhão, devido ao aumento igualmente expressivo nas importações (51%).

 

Em relação ao mesmo período de 2008, entretanto, o primeiro semestre de 2009 registrou recuo de 37,3% nas exportações brasileiras (US$697 milhões), de 33,8% nas exportações paraguaias (US$212 milhões), de 36,52% na corrente de comércio (US$ 909 milhões) e de 38,86% no saldo brasileiro (US$484,5 milhões).

 

Apesar dessa queda, decorrente da crise internacional, a recuperação registrada em 2010 é da ordem de 62%.

 

Os principais produtos exportados pelo Brasil no ano corrente são óleo diesel (10,68%), adubos e fertilizantes (7,02%), e fumo não manufaturado (4,05%).

 

Na pauta de importações, destacam-se trigo (27,58%), milho (19,35%) e soja (4,93% grãos + 2,46% farinha).

 

O Brasil é o principal parceiro comercial do Paraguai e responde, isoladamente, por 15% do total das exportações paraguaias.

 

Depois dos Estados Unidos, o Brasil é o país com o maior estoque de investimentos no Paraguai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *