Brasil

Economia Regional
14/12/2016
Negócios
14/12/2016

Infraestrutura Regional

Chile quer fortalecer Corredor Bioceânico que unirá Mato Grosso do Sul e Antofagasta

Brasília – O presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado chileno,  Jorge Pizarro, esteve reunido em Brasília com senadores e deputados brasileiros na última quarta-feira, 7, acompanhado do também senador Francisco Chahuán, para tratar de vários temas da agenda bilateral com especial atenção para as questões comerciais e a implementação do Corredor Bioceânico que ligará Porto Murtinho, no Matro Grosso do Sul, com o porto chileno de Antofagasta.

O Brasil é o principal destino dos investimentos chilenos no exterior. No período compreendido entre 1990 e 2015, estes investimentos alcançaram US$ 28 bilhões, o que faz do corredor bioceânico um projeto fundamental para a promoção do intercâmbio bilateral.

Jorge Pizarro e Francisco Chahuán, mantiveram reuniões com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ); com o presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), e com o Secretário-Geral do Itamaraty, Embaixador Marcos Galvão. Entre 9 e 16 de janeiro, eles devem acompanhar o ministro das Relações Exteriores, José Serra, que irá ao Chile para retomar a agenda bilateral.

De acordo com o senador Jorge Pizarro, “marcamos como prioridade para o nosso país, o avanço do Corredor Bioceânico que envolve Argentina, Brasil, Paraguai e Chile”. Além disso, os dois países devem analisar projetos nas áreas econômica e comercial, inclusive em matéria de reciprocidade tributária. “Com respeito à reciprocidade tributária, pedimos avanços para permitir que os aposentados chilenos que conquistaram esse direito no Brasil, não sejam descontados em 25% com respeito às suas remessas, o que foi bem recebido”, explicou Pizarro.

O senador destacou ainda que o Brasil se somará ao convênio promovido pelo Senado chileno com respeito à Transparência e Probidade, “dentro do plano de relação com outros organismos latino-americanos, como o projeto financiado pelo BID para gerar um marco legal internacional que permita um melhor controle e acesso dos cidadãos à informação sobre o trabalho que desenvolvem os respectivos Congressos”, detalhou.

Corredor Bioceânico

O senador Francisco Chahuán ressaltou os avanços registrados pelo Corredor Bioceânico que busca conectar Porto Murtinho (MS), aos terminais marítimos do norte do Chile, passando através do Chaco paraguaio e o noroeste da Argentina e afirmou que “trata-se de uma iniciativa que avança e que significará uma grande contribuição para as respectivas economias”.

Chahuán revelou que na reunião com o Embaixador Marcos Galvão, discutiu-se como impulsionar o Corredor Bioceânico “que é parte da integração terrestre entre os quatro países e será uma contribuição para reativar as economias”. O parlamentar ressaltou ainda a importância do trabalho realizado pelo Embaixador do Chile no Brasil, Jaime Gazmurri, em relação ao projeto.

Este será um dos temas da agenda do chanceler José Serra em Santiago em janeiro. O grupo de trabalho criado para tratar do assunto já realizou três reuniões com o objetivo de ir implementando os requisitos emanados da Declaração de Assunção, de 2015, quando os presidentes do Chile, Brasil, Argentina e Paraguai, adotaram em dezembro, a Declaração de Assunção sobre Corredores Bioceânicos.

O corredor que conectará o Brasil ao Chile terá cerca de 1.814 km e vai de Campo Grande (MS) até Antofagasta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *