Brasília, 15 de setembro de 2019 - 12h01
Chile trabalha para reforçar relações comerciais com o Rio Grande do Sul

Chile trabalha para reforçar relações comerciais com o Rio Grande do Sul

19 de fevereiro de 2019 - 10:21:28
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília – O governo do Chile trabalha por meio da sua embaixada no Brasil, para reforçar as relações comerciais com o Rio Grande do Sul. O país andino foi o sexto destino das exportações do Estado em 2018. O Chile comprou US$ 489 milhões em produtos gaúchos no ano passado, aumento de 5,58% na comparação com 2017. Ao mesmo tempo, do Brasil, foram adquiridos US$ 6,38 bilhões no período, incremento de 27% que colocou o país como quinto maior vendedor aos chilenos. As informações são da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Com este objetivo, o embaixador do Chile no Brasil, Fernando Schmidt Ariztía, reuniu-se com o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry, e industriais gaúchos, na terça-feira, 12, em evento na sede da entidade que debateu as oportunidades de negócios para o RS especialmente a partir do Acordo Amplo de Livre Comércio (ALC) entre os dois países, assinado em novembro do ano passado.

Para o diplomata, há como potencializar as relações econômicas e comerciais com o Rio Grande do Sul. O Chile é o principal investidor latino-americano no Brasil, com mais de US$ 35,23 bilhões em 2017. “Acreditamos em um forte incremento dos negócios entre o Rio Grande do Sul e o Chile, além da tradicional parceria existente, com uma atuação de complementaridade, dentro do espírito convergente do próprio Acordo, que também visa ampliar o diálogo do Mercosul com a Aliança do Pacífico”, destacou o presidente da FIERGS.

Livre Comércio

Schmidt espera que a partir de março, com a visita do presidente Jair Bolsonaro ao Chile, o ALC possa ser ratificado rapidamente. “Não é fácil, porque existem prioridades muito urgentes nos dois países, mas faremos todo o possível para que o acordo entre em vigor logo, eliminando burocracia, trazendo postos de trabalho e desenvolvimento”, revelou.

Com o novo acordo, os dois países assumem compromissos em 24 áreas não tarifárias, que vão desde a facilitação de comércio e o comércio eletrônico à eliminação de cobrança de roaming internacional para dados e telefonia móvel. Prevê, ainda, barreiras não tarifárias e incentivo à maior participação de micro, pequenas e médias empresas.

Gilberto Petry informou ao embaixador que a FIERGS, em conjunto com a Sociedade de Fomento Fabril do Chile (Sofofa), organiza uma missão empresarial gaúcha para o país vizinho, no final de maio ou início de junho. “Quanto mais se conhece a outra parte, melhores são os negócios a fazer, e o Chile é um parceiro confiável, que honra seus compromissos”, afirmou.

O gerente de Negociações Internacionais da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Fabrizio Panzini, comentou que a relação comercial brasileira com o Chile é muito importante regionalmente para o Rio Grande do Sul, e que a ampliação e melhoria dos acordos comerciais do Brasil é prioridade na Agenda Internacional da Indústria. “O Chile é um parceiro de longa data, estando entre os cinco maiores no comércio de bens”, salientou.

O gerente internacional da Sofofa, Pedro Reus, também participou do evento, promovido pela FIERGS, por meio do Conselho de Comércio Exterior (Concex), juntamente com o Consulado do Chile no Estado, e apoio da Câmara de Comércio e Indústria Brasil Chile.