Brasília, 13 de novembro de 2018 - 01h42

Estados Unidos

07 de agosto de 2009
por: InfoRel
Compartilhar notícia:
O presidente colombiano àlvaro Uribe, afirmou nesta quinta-feira em Brasà­lia que o acordo militar que negocia com os Estados Unidos não precisa ser detalhado na reunião da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), a ser realizada na próxima segunda-feira, 10, em Quito.

Segundo ele, o tratado diz respeito à s relações bilaterais com os Estados Unidos e a Colômbia não abre mão de sua soberania para firmar acordos.

Ele também não aceitou sugestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para que comparecesse à  reunião no Equador.

Rompido com o presidente Rafael Correa, Uribe ignorou os apelos do brasileiro.

Antes de partir, àlvaro Uribe encontrou-se com um grupo de senadores na Base Aérea de Brasà­lia.
De acordo com o presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), há preocupação com a militarização da América do Sul e uma possà­vel corrida armamentista na região.

Azeredo informou que o embaixador colombiano em Brasà­lia, Tony Jozame Amar, deverá encaminhar à  Comissão, os documentos relativos ao acordo. Ele também deverá prestar os esclarecimentos que os senadores julgarem necessários.

O senador considerou convincentes as explicações de Uribe e preferiu atacar o governo Lula. Na sua opinião, o Brasil critica a Colômbia, mas se omite em relação à  compra de armas por parte da Venezuela.

Apesar de reconhecer como positivo o gesto de àlvaro Uribe em explicar as pretensões colombianas com o acordo, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, ressaltou que o diálogo terá continuidade.

O Brasil pretende cobrar explicações detalhadas também dos Estados Unidos, principalmente em relação aos equipamentos que serão empregados no paà­s vizinho.

Para o governo brasileiro, o combate ao narcotráfico na região deve exigir um esforço de cooperação regional, sem interferências externas.

Os Estados Unidos irão utilizar sete bases militares colombianas, manter 1,4 mil pessoas (800 militares e 600 civis) e despejar cerca de US$ 17 milhões nos próximos dez anos.

Oposição

Depois de passar por Argentina, Brasil, Bolà­via, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai, Uribe retornou à  Colômbia tão isolado quanto estava antes. Apenas o presidente peruano, Alan Garcà­a, defendeu o acordo.

Michele Bachelet, Fernando Lugo e Tabaré Vázquez, afirmaram que são contra, mas que respeitarão a soberania da Colômbia e não pretendem interferir no tema.

Cristina Kirchner, Lula e Evo Morales, deixaram claro que são contrários e que pretendem trabalhar para que o acordo não saia. A eles se somam Rafael Correa, do Equador, e Hugo Chávez, da Venezuela.

Também nesta quinta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, se reuniu com o candidato presidencial da Frente Ampla, do Uruguai, o ex-guerrilheiro tupamaro José Mujica, que se opõe ao acordo entre Colômbia e Estados Unidos.

Assuntos estratégicos

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...
Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Política Externa do novo governo desata críticas ao presidente eleito

Brasília – Os primeiros anúncios feitos pelo presidente da República...
CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

CREDN realizará audiência sobre a importância da Inteligência de Estado para o Brasil

Brasília – A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional...
Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Os chanceleres de Espanha, Josep Borrell, e do Brasil, Aloysio Nunes, mantiveram encontro de...
Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Em 25 de setembro de 2018, Sua Excelência a Senhora Sushma Swaraj, Ministra das...
Comunicado Conjunto do BRICS

Comunicado Conjunto do BRICS

Os Ministros das Relações Exteriores/Relações Internacionais do BRICS...