Brasília, 04 de agosto de 2020 - 16h30

Brasil, o fechamento das fronteiras e a nova coordenação regional

11 de junho de 2020 - 20:29:04
por: Marcelo Rech
Compartilhar artigo:
Brasil, o fechamento das fronteiras e a nova coordenação regional

Nesta sexta-feira, 12, estarei conversando com o jornalista Eduardo Castillo, na Sala de Situaciones, da TXS Rádio, de Santiago, Chile. Castillo é também titular das redes CNN e Chilevisión, e Sala de Situaciones, é o único programa diário sobre Cibersegurança, onde conhecemos mais de segurança de dados, os novos cenários políticos e estratégicos, o impacto da tecnologia em áreas chaves e de que forma as pessoas devem se resguardar em um hiperconectado.

Vamos debater sobre o fechamento das fronteiras na região por conta da pandemia e como os países estão se coordenando para combater o vírus sem descuidar, por exemplo, da presença do crime organizado e do narcotráfico que não respeita fronteiras e muito menos o isolamento social. Será a partir das 17h (horário de Brasília) e pode ser acompanhado pelo site: https://txsradio.com/.

Bolívia reforça Embaixada no Brasil de olho nos negócios

Bolívia reforça Embaixada no Brasil de olho nos negócios

A Embaixada da Bolívia ganhou um reforço com a chegada de Wilfredo Rojo que atuará como Ministro-Conselheiro com o objetivo especial de promover o setor empresarial boliviano e incrementar os investimentos brasileiros na Bolívia. Segundo ele, “o Brasil é o principal cliente comercial da Bolívia. Seguirei trabalhando para aprofundar ainda mais essa relação”.

A ministra de Relações Exteriores da Bolívia, Karen Longaric, aposta numa relação ainda mais sólida com o Brasil, não apenas quanto à exportação de gás natural, como também na ratificação do Protocolo de Adesão da Bolívia ao MERCOSUL, pendente de ratificação apenas pelo Brasil.

Wilfredo Rojo foi ministro de Desenvolvimento Produtivo, presidente Câmara de Exportadores de Santa Cruz (Cadex) e vice-presidente da Câmara de Indústria, Comércio, Serviços e Turismo, também de Santa Cruz (Cainco).

Ministros de Turismo do MERCOSUL querem retomar viagens para reativar setor

Ministros de Turismo do MERCOSUL querem retomar viagens para reativar setor

Esta semana, representantes dos ministérios de turismo do MERCOSUL e Chile, concordaram em que a promoção de viagens de curta distância é a melhor alternativa para reativar o setor, além da homologação dos protocolos de biossegurança sanitária e dos programas de boas práticas para quando passe a pandemia.

Os governos da Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai, além do Chile, entendem que as viagens entre si, para pontos turísticos próximos, será a chave da recuperação do turismo regional. Um dos destinos mais viáveis é o chamado Caminho Jesuítico que une Argentina, Brasil, Bolívia, Uruguai e Paraguai.

Agronegócio considera estratégicas as linhas marítimas Brasil – Países Árabes

Agronegócio considera estratégicas as linhas marítimas Brasil – Países Árabes

A Câmara de Comércio Árabe Brasileira considera estratégicas as linhas marítimas que aproximam o Brasil dos países árabes e defende a intensificação desses canais também com países árabes do continente africano. No dia 25 de maio, Dia da África, o Secretário-Geral da entidade, Tamer Mansour, afirmou que entre as oportunidades de explorar mais essas linhas está o fortalecimento da parceria com o Marrocos.

“Entendemos a importância de implantar cada dia mais planejamento estratégico. Isso leva a dois projetos que envolvem a África. O primeiro é de linhas marítimas Brasil – países árabes. Hoje, o Marrocos é o maior exportador de fosfato para o mundo e para o Brasil, que é a base de fertilizantes. E os fertilizantes são a base dos produtos agrícolas que fazem os países árabes serem o segundo maior parceiro de agronegócio do Brasil, atrás apenas da China”, explicou.

Outro importante polo na África é o Egito, único país árabe com acordo de livre-comércio com o MERCOSUL. “Consideramos alguns países árabes como hub para reexportar produtos brasileiros para o mundo. Um deles é o Egito, que com acordo com o MERCOSUL, tem oportunidades para negócios de comércio, para desfrutar de zonas francas como a do Canal de Suez e de Alexandria”, destacou, acrescentando também Marrocos, Tunísia e Argélia, como importantes hubs no continente.

ITAIPU produz energia suficiente para iluminar o mundo por mais de 13 horas

ITAIPU produz energia suficiente para iluminar o mundo por mais de 13 horas

A usina hidrelétrica de Itaipu chegou, nesta quinta-feira, 11, à marca de 35 milhões de megawatts-hora (MWh) no acumulado do ano. Essa produção seria suficiente para atender ao consumo do planeta por 13 horas e meia; o Brasil, por mais de 26 dias; a cidade de São Paulo, por 15 meses; o Paraguai, por dois anos e cinco meses; o Estado do Paraná, por 13 meses e 12 dias. Ou ainda, por um ano, 60 cidades do porte de Foz do Iguaçu, com uma população estimada em 253 mil habitantes.

Em abril de 2020, a produtividade foi de 1,107 megawatt médio por metro cúbico de água por segundo; em maio, 1,1061 MW/m3/s. São os maiores índices mensais de produtividade de toda a história da Itaipu desde o início do funcionamento da usina, em 1984.

Paraguai nega pressão do Brasil pela reabertura das fronteiras

Paraguai nega pressão do Brasil pela reabertura das fronteiras

O Ministério das Relações Exteriores do Paraguai, negou nesta quinta-feira, 11, que existam pressões por parte do Brasil para que o país reabra as fronteiras. Além disso, o ministro Antonio Rivas assegurou que os dois países decidiram que esta decisão será tomada em conjunto para evitar a expansão do vírus.

Rivas confirmou que os presidentes Jair Bolsonaro e Mario Abdo Benítez, conversaram a respeito e concordaram em decidir de forma conjunta, sobre a reabertura das fronteiras entre Brasil e Paraguai. Por outro lado, ele admitiu que há pressões por parte de empresários que dependem do comércio transfronteiriços, especialmente em Ciudad del Este. A Ponte da Amizade que liga o Paraguai ao Brasil em Foz do Iguaçu (PR), está fechada desde março.